É possível tirar prazer da atividade profissional, mas existe uma linha tênue entre gostar de trabalhar e não conseguir parar de fazê-lo. É nesse momento que surge o workaholic ou trabalhador compulsivo.

Uma situação engraçada sobre este tema aconteceu alguns anos atrás quando a ex-presidente Dilma Rousseff confundiu workaholic com work-alcoolic.

Um colaborador workaholic tem uma verdadeira compulsão pelo trabalho. O problema é que o excesso de atividades pode prejudicar os relacionamentos (como com a família) e a saúde. A estafa, o estresse e até mesmo doenças crônicas podem decorrer de tal característica.

Por isso, apesar de o comportamento aumentar o potencial de ganhos e de satisfação, é preciso encontrar o equilíbrio. Assim, é possível ter uma vida mais saudável e se tornar um profissional melhor.

Para que não restem dúvidas, veja 5 características comuns a um workaholic e descubra se você se encaixa no perfil!

1. A dedicação ao trabalho é intensa e quase exclusiva

Inicialmente, uma pessoa viciada em trabalhar parece ter uma disposição que não tem fim. Ao não se aprofundar no comportamento, é fácil achar que o workaholic é apenas um funcionário extremamente dedicado.

Isso acontece porque ele transparece uma visão ampla sobre o trabalho e o que precisa ser feito. Com o objetivo de se destacar e ser o melhor, o indivíduo tenta fazer o máximo de tarefas e com os melhores resultados.

Não sobra espaço para quase nada

Eventualmente, a profissão ocupa uma parte tão grande da vida da pessoa que já não sobra espaço para muita coisa. Praticamente todas as suas conversas e interesses estão relacionados ao ambiente laboral. Em alguns casos, esses indivíduos se dedicam quase que exclusivamente às funções profissionais.

Dificuldades em outras áreas da vida

Além das consequências negativas do desequilíbrio nas diversas áreas da vida, é comum que surjam dificuldades para trabalhar em equipe e dividir os méritos. Em pouco tempo, isso pode afetar a imagem profissional e até comprometer a permanência em um mercado que é cada vez mais colaborativo.

Guia de Planejamento Financeiro Pessoal e investimentos

2. O tempo de expediente não parece ser suficiente

A grande demanda imposta pelo workaholic faz com que ele tenha certa fixação com o tempo de trabalho. Em busca de máximo aproveitamento, é comum vê-lo diante de ferramentas que ajudam a tornar tudo mais produtivo. Listas, aplicativos e outros itens contribuem para que as horas sejam usadas da melhor forma possível.

Contudo, é muito difícil dar conta de todas as atribuições assumidas. Com isso, as horas extras que eram feitas para a prosperidade financeira assumem um caráter recorrente e passam a integrar o expediente.

Trabalho além do horário vira rotina

Aquela que deveria ser uma rotina saudável de trabalho passa a consumir a maior parte do dia. Tarefas que precisariam ser entregues dentro do tempo se prolongam e ficar por último no escritório é uma constante.

Não há erros em atuar um pouco além do horário em situações específicas. No entanto, se isso se tornou um hábito em sua rotina, é possível que você seja um workaholic.

3. O descanso não existe ou é curto

Se as horas extras são cada vez maiores e mais frequentes, é natural que um profissional compulsivo por trabalho não tenha muito tempo livre. Aquele período que seria usado para o descanso após o expediente, por exemplo, é utilizado nas tarefas que ele levou para casa ou na conferência contínua de e-mails.

Falta de tempo constante

Essa falta de tempo é uma das características intensas e gera reflexos tanto pessoalmente quanto nos relacionamentos. Na primeira, o profissional tem dificuldade para cuidar da saúde, fazer atividades físicas e até para comer corretamente.

Compensação financeira vale tanto assim?

Na segunda, já não há momentos para a família, para os amigos ou para explorar novos interesses. Comumente, as férias são deixadas de lado ou mesmo abreviadas em troca de compensação financeira. Um ano sabático, então, é fora de questão.

Mesmo os finais de semana são prejudicados. Em geral, um workaholic está sempre de prontidão, responde e-mails, chamadas e até resolve problemas relacionados ao trabalho.

Livros que você está lendo

Para identificar se esse é o seu caso, pense em qual foi o último livro que você leu, a qual filme assistiu por último no cinema ou qual foi a sua viagem mais recente. Se houver dificuldade para se lembrar dessas situações, é provável que elas tenham acontecido há mais tempo do que deveriam. Conheça a nossa lista de livros para investidores.

habitos de grandes investidores

4. A qualidade do sono está prejudicada

O workaholic é uma pessoa que trabalha muito além do esperado — em geral, acima de 12 horas por dia. Paralelamente, as obrigações em outros setores da vida não deixam de existir, e elas exigem tempo.

Dorme menos para trabalhar mais

Por causa disso, entre tarefas ou após finalmente encerrar o dia útil, o profissional ainda precisa dar conta de outras questões. Isso consome um período que poderia ser usado para o descanso e para o sono. Como consequência, a pessoa dorme menos para poder trabalhar mais.

Sono prejudicado

Além disso, a qualidade do sono fica prejudicada. Por não ter descansado apropriadamente, o cérebro do workaholic continua em funcionamento mesmo na hora de dormir. Isso dificulta o relaxamento para um sono profundo e aumenta os riscos de insônia.

Dificuldade de relaxar

Para completar, a preocupação contínua com as questões de trabalho pode levar a pensamentos que interrompam o sono, como uma ideia ou uma tarefa que precisa ser feita no dia seguinte. Como não sabe se desligar, o profissional compulsivo também não permite que o corpo descanse corretamente.

5. A concentração e a memória estão afetadas

A conjuntura desses fatores leva a dificuldades na forma como o organismo funciona. Inicialmente, um workaholic se sente muito produtivo, capaz e hábil para resolver problemas. Diante da continuidade do comportamento, entretanto, o cérebro fica cada vez mais cansado e com menos energia.

Falta de descanso

A falta de descanso, o lazer reduzido e o sono com má qualidade são fatores-chave que interferem nas conexões cerebrais. Como resultado, a concentração e a memória ficam prejudicadas e é difícil realizar tarefas simples. Isso aumenta o esforço de execução e, ainda, amplia os riscos de ter que lidar com retrabalhos.

Concentração pode diminuir

Se você tem encontrado dificuldade para se lembrar de questões importantes ou se já não consegue se concentrar como antes, então é possível que a compulsão por trabalho seja a grande responsável.

Você é um workaholic?

Ao se reconhecer como workaholic, é fundamental buscar o equilíbrio. Se a questão financeira é a maior causadora do excesso de trabalho, leia nosso outro post e veja 6 dicas para juntar dinheiro!

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.