Setor de saneamento básico da bolsa de valores: vale a pena investir?

Por Vinicius Brandao - 20/01/2021
.

O setor de saneamento básico da bolsa de valores é um dos mais estáveis entre os setores da economia brasileira. Esse inclusive é um dos motivos para esse setor ser considerado um dos setores perenes da bolsa de valores brasileira.

Além disso, o setor de saneamento básico da bolsa ganhou ainda mais destaque tendo vista as novas regulamentações do setor.

Nesse sentido, a compreensão de como funciona esse setor e quais são as perspectivas para as ações de saneamento no futuro são importantes para os investidores, especialmente em investimentos de longo prazo.

Quais as principais características do setor de saneamento básico da bolsa?

O setor de saneamento básico é aquele responsável pela provisão de serviços de água e esgoto para toda a população. No Brasil, historicamente esse serviço é prestado pelo poder público. Na maioria dos casos é prestado por estatais controladas pelos governos estaduais.

Os serviços prestados por empresas desse setor podem ser ainda mais amplos. Em geral, os serviços de coleta e destinação do lixo também fazem parte das responsabilidades desse setor econômico.

Em suma, as condições de saúde pública da cidade são de responsabilidade de empresas do setor de saneamento:

  • Serviços relacionados a água potável,
  • tratamento de esgoto e;
  • destinação do lixo.

Contudo, muitas delas operam exclusivamente no tratamento de água e esgoto. Algumas dessas companhias, mesmo as estatais, já possuem capital aberto na bolsa de valores há bastante tempo.

Os exemplos mais famosos de empresas do setor de saneamento básico da bolsa são:

Outras importantes mas menos expressivas são:

Infraestrutura do setor de saneamento básico

Vale ressaltar que a cobertura de saneamento básico do Brasil ainda é precária quando comparada à países desenvolvidos. Para se ter uma ideia, segundo dados do IBGE, em 2019 quase um terço de todos os domicílios brasileiros não possuía ligação direta com a rede de esgoto.

Esse número é ainda pior nas regiões mais pobres do país e com maior dificuldade de acesso. Na região Norte, por exemplo, a ligação dos domicílios ao esgoto não chega nem a 30%.

Isso, mesmo tendo passado por processo de investimentos nos anos anteriores e melhorado a situação da região. Na região Nordeste esse percentual também não alcança nem metade dos domicílios.

Dessa forma, compreende-se que há um déficit de infraestrutura no setor de saneamento básico no Brasil. Portanto, vislumbra-se que com o aumento da segurança jurídica para os investimentos privados no setor, essa lacuna da infraestrutura no Brasil possa ser preenchida. Isto é, tanto com privatizações como com PPPs (Parcerias Público-Privadas).

Por que o setor de saneamento básico da bolsa é um setor perene?

O setor de saneamento básico da bolsa é um dos mais estáveis e um dos preferidos de investidores que buscam ações estáveis e com pouca volatilidade. Nesse sentido, esse setor é um dos setores perenes listados na bolsa de valores justamente por ser um setor que realiza a provisão de um serviço essencial para a população.

Tanto o setor de saneamento básico como o setor de energia elétrica são considerados setores defensivos dentro do mercado de renda variável. Esses setores possuem consumo constante e pouca variação na demanda.

Mesmo em momentos de crise econômica, essa questão pode ser verificada tanto no período da crise de 2008 como na crise gerada pela pandemia do Coronavírus.

Dessa forma, esses consumos não são interrompidos, o que possibilita além de tudo uma melhor previsão das receitas dessas empresas. Esse fator faz com que essas empresas possam então ter um volume de distribuição de dividendos contínuo. O que também torna essa ação interessante para quem investe com foco em dividendos.

Esse tipo de setor é um dos preferidos pelo grande investidor brasileiro Luiz Barsi. Barsi aponta que está sempre analisando as ações desse tipo de setor. Além de ações que geram rendimentos constantes para seus acionistas são essenciais para um portfólio. Além disso, ele ressalta a importância de sempre reinvestir os dividendos auferidos dentro do mercado de ações.

Recomendações como essas de Barsi acabam sempre fazendo parte das lições dos grandes investidores. Vale lembrar que em geral, os grandes investidores apontam o investimento em valor, como é o caso de Barsi, como a chave para investir no mercado de renda variável.

ebook-dividendos-acoes

Ações do setor de saneamento básico e estratégias de hedge

A atenção com a gestão de risco de uma carteira de investimentos é importante para todos os perfis de investidores. Nesse sentido, para aqueles que possuem a totalidade ou boa parte da carteira alocada em ações, ações de setores perenes como é o caso de saneamento básico acabam sendo uma opção de controlar a volatilidade da carteira.

Há uma série de técnicas ligadas à hedge para investimentos que possibilitam o cálculo da volatilidade de uma ação a partir do histórico de preços. As ações do setor de saneamento estão entre as com menor volatilidade e, portanto, oferecem menos risco para a carteira.

No assunto gestão de risco de portfólio, é impossível não citar o grande investidor americano Ray Dalio. Ele é famoso no mercado por possuir uma estratégia considerada complexa para realizar a gestão de risco da sua carteira. Ainda assim ele consegue garantir uma boa rentabilidade para a mesma.

No caso de Dalio, a carteira dele está adaptada ao mercado financeiro dos Estados Unidos. Mas para se ter uma ideia, ele sugere, por exemplo, a alocação de cerca de 15% da carteira em metais preciosos, ou seja, realizar investimento em ouro ou investimento em prata para proteger a carteira contra grandes oscilações.

Novo marco regulatório do saneamento básico no Brasil

O novo marco regulatório do saneamento básico aprovado durante o ano de 2020 possibilita maior segurança jurídica para os investimentos da iniciativa privada nesse setor. Nesse sentido, esses investimentos deveriam ser realizados a partir de leilões para concessão da prestação de serviços, os quais teriam duração de 30 anos.

Um dos principais entraves para a privatização das estatais que operam no setor de saneamento básico da bolsa é a forma como funcionam os contratos de prestação de serviços com os municípios.

Muitos desses contratos tem uma cláusula que possibilita aos municípios encerrar o contrato em caso de privatização das empresas.

Dessa forma, esse ainda pode ser um entrave para que haja um largo processo de privatização nesse setor no Brasil, especialmente nas principais estatais. Contudo, logo após a aprovação do novo marco do saneamento foi realizado o primeiro leilão já sob a nova regulamentação.

Esse leilão foi referente à provisão de serviços de saneamento básico para a região metropolitana de Maceió no Estado de Alagoas. O leilão foi vencido pelo consórcio BKR formado pela empresa canadense Brookfield (70%) e pelo FI-FGTS (30%).

Setor de saneamento básico e investimento em dividendos

O setor de saneamento básico se destaca entre as empresas boas pagadoras de dividendos. Como apontado acima, o fato das empresas desse setor possuírem renda constante e previsível, facilita com essas tenham lucro líquido constante e tenham uma distribuição recorrente de dividendos.

Na análise do índice IDIV é possível verificar esse fator. O índice IDIV da B3 é aquele que aglutina as principais empresas pagadoras de dividendos da bolsa brasileira. Apesar de não haverem tantas empresas de saneamento na bolsa de valores, duas constam nesse índice: SANEPAR (SAPR11) e COPASA (CSMG3).

Vale ressaltar que também é possível investir em dividendos a partir de ETFs (Exchange Traded Funds). O ETF DIVO11 acompanha justamente o índice IDIV, portanto, a rentabilidade do mesmo irá acompanhar a rentabilidade desse índice. Além de ser uma opção de investimento em fundos de investimento com taxas menores.

Vale ressaltar que é sempre importante analisar o histórico de dividendos das empresas e a perspectiva dos resultados da mesma para o período futuro. Como esse é um setor que está passando por mudanças na legislação, é importante compreender as perspectivas de cada empresa frente a esse novo cenário.

ETF - ebook - caminho para riqueza

Principais empresas do setor de saneamento básico da bolsa

A quantidade de empresas do setor de saneamento básico da bolsa ainda não é muito extensa. Todavia, já existem opções importantes do setor listadas no mercado financeiro brasileiro. Em suma, as principais empresas de saneamento no Brasil são estatais controladas pelos Governos Estaduais. Elas também possuem contratos longos de prestação de serviços com os respectivos municípios.

SANEPAR (SAPR11)

A Sanepar (SAPR11) é a empresa de saneamento básico do Estado do Paraná e controlada pelo Governo Estadual. Essa companhia basicamente possui contratos de prestação de serviços com praticamente a totalidade dos municípios paranaenses e alguns municípios do Estado de Santa Catarina.

Essa é uma das principais empresas de saneamento básico listada na bolsa de valores brasileira. A empresa se destaca pela distribuição recorrente de dividendos. Fato que a coloca inclusive na composição do índice IDIV da B3.

Apesar de ser uma empresa estável e com fundamentos interessantes, a empresa passou por um período de dificuldades durante o ano de 2020 devido a um período com menor volume de chuvas que o esperado no Estado do Paraná. Além disso, esse mesmo período coincidiu com a pandemia do Coronavírus e por alguns meses a empresa não pode reajustar o preço das tarifas de água e esgoto.

Apesar da privatização não estar no radar da Sanepar, mesmo após a aprovação do novo marco do saneamento, a empresa costuma ser uma das favoritas de quem investe no setor. Os dividendos da companhia são seu principal ativo, visto que nos últimos 4 anos possuem uma média anual de aproximadamente 4% de dividend yield.

SABESP (SBSP3)

A Sabesp é a empresa de saneamento básico do Estado de São Paulo e tal qual a Sanepar, é controlada pelo Governo Estadual. A Sabesp atende a maior parte dos municípios paulista, inclusive a capital. A cidade de São Paulo, especificamente, responde por cerca de 42% da receita da companhia.

Como a Sabesp é a empresa responsável pelo saneamento do Estado mais populoso do Brasil ela sem dúvidas tem um peso maior sobre o setor. Mesmo não atendendo todos as cidades, essa é a empresa que cobre o maior número de domicílios no Brasil.

No tocante à privatização, ela estava no radar do governo paulista atrelada à aprovação do novo marco regulatório do saneamento. Todavia, com a deflagração da pandemia em 2020, as tratativas para privatização foram interrompidas e não possuem previsão de serem retomadas.

Apesar de ser um ponto no radar do governo, há entraves nesse processo. Visto que há uma cláusula em que a cidade de São Paulo pode romper o contrato com a Sabesp em caso de privatização da mesma. Como a cidade de São Paulo é a maior responsável pelas receitas da companhia, qualquer movimento deve ser tomado em acordo com a capital paulista.

Dividendos Sabesp

No tocante à distribuição de dividendos, a Sabesp nos dois últimos anos (2019 e 2020) passou a distribuir dividendos e no último ano teve dividend yield acima de 3%. Portanto, apesar de não ter um largo histórico de distribuição de dividendos, a empresa sinaliza que passará a adotar essa política nos próximos anos.

Impactos Coronavírus e condições da companhia

Com relação aos resultados da companhia, a empresa passou por algumas dificuldades durante o ano de 2020. Essas se deram basicamente devido à concentração do consumo de água residencial e também devido ao aumento na cotação do dólar. Esse último ponto exerce pressão negativa sobre o endividamento da companhia, que possui cerca de um terço em moeda estrangeira.

Apesar disso, é importante ressaltar que essa é uma empresa estável ao longo do tempo. Além disso, a empresa possui contratos de prestação de serviços com a capital paulista e importantes municípios do Estado, o que garante uma prestação de serviços contínua e baixa volatilidade.

Copasa (CSMG3)

A Copasa (CSMG3) é a companhia de saneamento básico do Estado de Minas Gerais e uma das mais importantes do Brasil. A Copasa é responsável pela prestação de serviços de saneamento para mais de 600 municípios do Estado de Minas Gerais. Número que corresponde a aproximadamente 75% de todas as cidades do Estado.

Minas Gerais é o segundo Estado mais populoso do Brasil, o que concede uma relevância grande para a Copasa. Nesse sentido, a empresa possui contratos longos para abastecimento de uma quantidade expressiva de domicílios.

Com relação às perspectivas de privatização, houve uma grande expectativa para as privatizações tanto da Copasa quanto da CEMIG quando o Governador Romeu Zema foi eleito em 2018. Todavia, mesmo com a vontade do executivo, a venda das estatais tende a enfrentar resistência no legislativo e o governador não tem uma base extensa na Assembleia Legislativa do Estado.

Além disso, tal qual no caso da Sabesp, o contrato com a capital do Estado, Belo Horizonte, responde por cerca de 30% das receitas da companhia e possui cláusula que possibilita à empresa romper o contrato com a Copasa em caso de privatização da companhia, fato que na prática obrigaria qualquer movimento nesse sentido passasse pela aprovação do governo municipal.

Com relação à distribuição de dividendos, a companhia possui uma média nos últimos anos próxima dos 4%. Esse índice a coloca como uma das ações do índice IDIV e consequentemente do DIVO11. O fato da empresa distribuir dividendos de forma recorrente há mais de 5 anos acaba por ser um ponto positivo para os acionistas da companhia.

Âmbipar Pariticpações (AMBP3)

A Âmbipar Participações é a empresa menos conhecida entre todas as empresas de saneamento básico. Isso ocorre porque essa empresa difere inclusive do tipo de atividade prestada das demais empresas, apesar de também pertencer ao setor de saneamento básico da bolsa de valores.

A Âmbipar atua na gestão de resíduos e no controle ambiental. Essa companhia atua inclusive em situações de desastre ambiental para redução de danos. Para se ter uma ideia, a companhia atuou diretamente na prestação de serviços para a Vale durante a tragédia de Brumadinho (MG) no ano de 2019.

A empresa fez sua estreia na bolsa de valores a partir do IPO realizado em junho de 2020. Portanto, possui um curto histórico de negociação. Entre a estreia na bolsa de valores e o final do ano de 2020, a empresa se manteve basicamente com os preços no mesmo patamar.

Portanto, vale ressaltar que essa é uma empresa de saneamento diferente das demais e deve ser analisada de forma diferente. Apesar de ser uma empresa brasileira, ela atua em 14 países situados na América do Sul, Europa e África.

Além disso, a companhia atua enquanto uma holding e presta seus serviços a partir das subsidiárias.

Considerações finais

As empresas do setor de saneamento estão ganhando espaço tanto nas análises de investidores, casas de análise e da mídia especializada como um todo. O novo marco do saneamento jogou mais luz sobre esse setor. Mas a perenidade do setor de saneamento já chamava a atenção do investidor que investe a partir do value investing.

Apesar dos bons conceitos que as empresas do setor de saneamento básico da bolsa costumam ter, é sempre importante realizar a análise e o valuation das ações. Os conceitos como valor intrínseco de Benjamim Graham podem cumprir papel essencial no momento de realizar um investimento que de fato traga valor ao portfólio.

Vinicius Brandao

Vinicius Brandao

É economista e autor no blog Caminho para Riqueza.