Reforma da Previdência 2019: O que fazer nesta proposta do governo Bolsonaro? Neste artigo você vai aprender como investir melhor neste cenário de Reforma da Previdência. INSS, PGBL e VGBL. Tributação, tabela regressiva e se vale a pena investir no INSS.

Olá eu sou Daniel Guedine, sou especialista em investimentos financeiros. E vou falar para você nesse vídeo sobre a sua tranquilidade, sobre o seu sonho, o seu futuro à sua aposentadoria.

Mas antes que você me permita isso, não se esqueça, siga o canal e dê um like nesse vídeo. Clique no sininho para você receber as notificações.

Quando houver um novo material na atual conjuntura econômica fica evidente a necessidade de cada um, eu, você e todos nós fazermos uma previdência privada não só pela maior rentabilidade mas pela qualidade de gestão, pela flexibilidade dos fundos, e pela rentabilidade, ou seja, o retorno proporcionado por esses meios mas primeiramente vamos entender o que é o INSS.

O que é o INSS

INSS significa instituto nacional de seguridade social, ou seja, é um o órgão governamental responsável pelo pagamento de tudo quando for aposentadoria bem como benefícios públicos, auxílios públicos, dentre outros que acontece. Imagina alguém na idade de 35, 40 anos, provavelmente os pais estão aposentando, os nossos pais eles faziam parte da geração “baby boomers”, o que é isso?

Existe um grande público, uma grande massa de pessoas do pós-guerra, é um público muito grande e hoje estão se aposentando. Para refletir um pouco no cenário atual, quem hoje tem dois ou três filhos já parece muito, antigamente era normal você ter pais com três, quatro, cinco, seis irmãos, era comum isso. Tudo para explicar o seguinte, ao mesmo tempo que uma grande massa da população está envelhecendo a natalidade está diminuindo.

A natalidade é responsável pela mão de obra, é quem trabalha, é quem contribui para o INSS, enquanto os aposentados eles apenas recebem do INSS. Se você tem a maior parte recebendo e uma minoria contribuindo, obviamente o sistema vai se colapsar. Pior de tudo mesmo é que, as reformas sendo feitas, não é garantia que o problema será de fato resolvido.

Pode ser resolvido parcialmente, mas futuramente podemos ter novos problemas, então vou te falar uma coisa, eu tenho uma solução. Hoje eu estou gravando no parabéns para mim, meu aniversário, janeiro de 2019, 9 de janeiro precisamente (Meu não, nosso!). Só existe mais de 780 Bilhões de reais investidos em previdência privada, que não depende do INSS, isso é uma fonte trazida pela SUSEP (órgão que regula esse mercado).

Dois tipos de previdência

A esse respeito existem duas formas de previdência privada:

  • A aberta e a;
  • Fechada.

Previdência privada aberta

Mas antes de prosseguir dê um like nesse vídeo, siga esse canal e aperte o sininho para receber as notificações. Eu vou começar com a previdência privada aberta. Vulgarmente são chamados VGBL e PGBL. Calma que eu já vou explicar daqui a pouquinho o que é cada um deles e como é que eles funcionam.

Previdência Privada

De forma muito parecida com o INSS porém com uma diferença muito grande. É parecida na sistemática mas muito diferente na flexibilidade, e essa é a grande vantagem. Porque o INSS você é obrigado a contribuir todos os meses numa determinada proporção do seu salário. Você não pode nem diminuir e nem aumentar, é aquele montante pré-determinado.

Na previdência privada você determina o quanto quer contribuir cada mês, e supondo que você tem uma dificuldade financeira, e em um determinado mês você não possa contribuir, isso não tem problema algum, naquele mesmo mês você pausa e volta a contribuir no mês seguinte. Então a grande vantagem dos PGBLs e VGBLs em relação ao INSS é a flexibilidade, sem dizer a administração muito mais transparente, muito mais profissional, e que certamente vai te entregar um returno muito maior.

PGBL

Tá, e qual deve escolher? O “P” ou o “V”? Isso vai depender muito da renda e do tempo de contribuição de cada pessoa, por isso eu vou explicar as características e você vai aprender qual deles se encaixa melhor para o seu perfil. Então, o que é o PGBL? Significa plano gerador de benefício livre. Como o PGBL funciona?

A vantagem do PGBL é você poder deduzir do cálculo de imposto de renda anual, aumente até 12% da sua renda bruta tributada, ou seja, declarada. E o que que isso significa? Acontece que todo ano no mês de abril você declara, você faz sua declaração de imposto de renda normalmente.

O PGBL (“P” de plano) é indicado para quem tenha renda mais elevada. Por que? Porque você só consegue fazer esse diferimento fiscal, já vou explicar o que é isso, se você faz a declaração completa de imposto de renda. Então, para que tenha renda mais baixa, muitas vezes é mais vantajoso fazer a declaração simples de imposto de renda, nesse caso prefira o VGBL. Então, vamos explicar um pouco melhor como é que funciona o PGBL (“P” de Plano).


Quer saber mais sobre a Previdência Privada e como investir melhor? Converse com um profissional de investimentos.


Todo ano suponha que você ganhou e declarou no seu imposto de renda: minha renda anual foi de 100 mil. Se você aportar até 12 mil, você vai lançar outras despesas médicas e educação e etc. E, você lança esses 12 mil também com uma redução da base tributária, então não é que você não paga imposto, você usa ele como se fosse um gasto com educação ou com saúde, entra lá com uma despesa dedutível.

Mas, a desvantagem é que quando você resgatar lá na aposentadoria, ou quando você converter esses recursos em renda, aí sim no imposto de renda incidirá sobre a totalidade. Vou te dar um exemplo: você contribuiu mil reais por mês durante cem meses, supondo que não rendeu nada, só um exemplo, para você entender, então lá no final da sua carreira, quando você resolveu aposentar, você juntou cem mil reais num PGBL.

VGBL

A tributação mínima deste fundo, esse tipo de fundo de investimento em previdência é de 10%, então você é pagar pelo menos dez mil reais de imposto, é sobre a totalidade e não só sobre o rendimento como é o caso do VGBL. Deixa eu te explicar agora a respeito do VGBL. VGBL significa vida gerador de benefício livre.

Qual a grande diferença?

Enquanto no PGBL você consegue deduzir anualmente da base tributária, o VGBL funciona como qualquer fundo aberto, que não seja Previdência, ou um CDB, como qualquer ativo tributado. Isso não tem nada a ver com a declaração anual de imposto. Você gera uma reserva onde no final você vai ser tributado apenas pelo rendimento, mas não pelos aportes que você fez. Então voltando para o meu exemplo anterior, eu falei de uma situação onde você aportou mil reais por mês durante cem meses, logo você acumulou cem mil reais.

Suponha agora que finalizados em meses você tenha 110 mil reais, onde 100 mil você aportou e 10.000 são rendimentos. Se você for tributado em 10%, você vai pagar 10% sobre dez mil reais, ou seja, mil reais de imposto, e não 10% sobre 110 mil reais que seriam 11 mil de imposto. A nomenclatura correta disso é deferimento tributável, ou seja, enquanto que no PGBL você deixa de pagar o imposto agora para pagar no futuro, no VGBL você não desconta nada agora, mas paga tudo no futuro, porém apenas pelo rendimento.

Comparando PGBL e VGBL com INSS

Para encerrar esse assunto, então vamos lá, comparando o PGBL e o VGBL com o INSS veja que os fundos abertos, PGBL e o VGBL você tem flexibilidade nos aportes e flexibilidade no resgate, diferentemente do INSS onde você se aposenta e vai receber uma renda mensal. Em um fundo aberto você pode escolher uma renda mensal, uma renda temporária, uma renda vitalícia, ou mesmo simplesmente sacar todo o montante e fazer o que você quiser com o seu dinheiro. Falando agora sobre os fundos de previdência privados fechados.

Fundos Privados Fechados

Acontece quando uma empresa é patrocinadora do seu fundo de previdência, porém apenas para os colaboradores da empresa. Não sendo possível a qualquer pessoa fazer parte desse plano, diferentemente do INSS onde o valor é instituído, aqui também você pode definir o quanto você quer contribuir.

Normalmente isso não é uma regra, mas a grande maioria das empresas, ela permite que o funcionário escolha até um determinado percentual do salário, o aporte que ele deseja fazer no plano, e a empresa dobra esse aporte. Então, por exemplo, você ganha 10 mil reais e a empresa permite que você aporte qualquer valor até 10% da sua renda, você pode optar em qualquer coisa até mil reais, sendo que se você contribuiu com mil reais, ela contribui com outros mil reais.

Nesses casos, os chamados fundos de pensão, que são os fundos de previdência privados fechados ou patrocinados por uma empresa são imbatíveis. Porque nenhum outro fundo ou nenhuma outra aplicação vai te render o dobro do que você aporta, porém, a desvantagem dos fundos de pensão é que eles são menos transparentes. Se você tentar pesquisar pelo seu plano num site de fundos, você não vai comprar porque não tem um CNPJ, ele tem um CNPD, quem controla esse fundo é a própria empresa, é como se fosse uma outra empresa, uma instituição em si só.

Tributação

Atente-se agora a tributação de qualquer fundo de investimento em previdência privada, seja aberto ou fechado. Isso é extremamente relevante para o retorno que você obterá nesse investimento. Então, veja em qualquer tipo de plano PGBL, VGBL ou fundo de pensão, você pode optar entre a tributação progressiva e regressiva, começando pela escala progressiva. A escala progressiva ela é idêntica à escala de imposto de renda que você contribui todo o mês de abril. Não dá pra te falar qual é essa escala porque é corrigida anualmente pela receita federal, porém ela começa com um nível de renda muito pequenininho, em isento, e depois ela passa pra 7,6%, 15% 22,5% e o máximo é de 27,5%.

Porém, o máximo é uma renda de 4.800 a 5 mil reais. E, a gente está falando em 2019, então quer dizer, qualquer renda um pouco mais elevada você já estará na tributação máxima perante a escala progressiva. Outro detalhe, suponha um fundo qualquer, um PGBL ou VGBL, onde você está na escala progressiva e por algum motivo está no teto: 27,5%. No momento do resgate você vai pagar 15%, a diferença entre o teto que é 27,5% e os 15%, você vai declarar no imposto de renda lá no mês de abril, quando você faz a sua declaração de ajuste anual.

Tabela regressiva

Partindo agora para tabela regressiva de imposto de renda, que é uma opção dos fundos de previdência privada. Como é que ela funciona? Ao contrário da progressiva que depende da renda, na escala regressiva ela depende única e exclusivamente do prazo pelo qual você mantém o seu investimento, ou seja, o seu fundo de previdência.

Então, ela começa numa tributação muito alta de 35%, porém, a cada dois anos você deduz 5% desses 35%. Como é que funciona isso? supondo que você mantenha um fundo 2 anos + um dia, a tributação sai de 35% para 30%. Em 4 anos + um dia, isso cai para 25%. Em 6 anos + dia. cai para 20%, 8 anos + um dia, cai para 15%. E, finalmente 10 anos + um dia, cai para a titulação mínima de 10%.

Então, se você tem uma renda a partir dali de 3 mil e pouco, três mil e quinhentos reais, sem dúvida vale a pena optar pela tabela regressiva de imposto de renda. Detalhe, essa renda não é só o seu salário, se você recebe aluguel, dividendo ou qualquer outro benefício, seja lá o que for, tributável, conta como renda também. Então, pelo fato de fundo de previdência ser tão dinâmico, ter tantos detalhes, não dá para dizer que um tipo é melhor que outro.

Escolhendo o que é melhor para você

A minha sugestão é você sempre contar com um especialista, seja do banco, da corretora ou até melhor ainda, um assessor de investimentos de sua confiança pra te auxiliar a escolher o que é melhor num determinado momento, para você.

Então, para cada pessoa existe um caminho melhor e isso pode alterar conforme o momento da vida. Por isso mesmo, para que você possa começar imediatamente, afinal já ficou bem claro que todos devemos ter um plano de previdência privada, além do INSS para não depender da gestão do governo federal, que não é nada boa.

Eu vou deixar aqui o link da corretora onde eu tenho o meu plano de previdência, porque assim, eu tenho certeza que você quer, você poderá iniciar imediatamente o seu plano de previdência privada, afinal a gente já discutiu atrás que isso é muito importante e principalmente quanto mais cedo você começar o seu plano de previdência privada, mais confortável será a sua aposentadoria.

Se você gostou desse vídeo, tenho certeza que gostou, dê um like, compartilhe e clique lá no sininho para receber notificações nos próximos vídeos, e compartilhe com seus pais, amigos, familiares. Certamente eles precisam de um plano privado de previdência tanto quanto você. Qualquer dúvida faça o seu comentário aqui em baixo, que eu mesmo irei responder… ou você vai querer fazer parte da minoria que ainda acredita no INSS.

Lembre-se o caminho para riqueza é você quem faz, até o próximo passo para prosperidade.

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Daniel Guedine

Daniel Guedine é empreendedor, autor e co-fundador do Caminho para Riqueza, clique para ler mais...