fbpx

Quais são os tipos de fundos imobiliários?

O fato de ser possível investir em fundos imobiliários através da Bolsa de valores facilita bastante. Porém é preciso estar atento aos tipos de fundos imobiliários disponíveis. De forma simplificadas são 3 tipos: FII de tijolo, FII de papel e FII híbrido.

Que FII é o que

O FII mais óbvio é o FII de tijolo, o “oposto” deste é o FII de papel e a mistura de ambos com um tempero a mais é o FII híbrido.

FII de Tijolo

O fundo imobiliário de TIJOLO compra empreendimentos já construídos, por isso são chamado de “Fundos Tijolo”, porque literalmente investem em tijolos.

O objetivo do fundo tijolo é explorar comercialmente um empreendimento e usufruir do fluxo de aluguéis provenientes do mesmo.

Diversos tipos de empreendimentos costumam fazer parte dos fundos imobiliários do tipo TIJOLO:

  • Agências bancárias;
  • Galpões industriais;
  • Galpões de logística;
  • Hospitais;
  • Lajes corporativas;
  • Lojas e supermercados;
  • Shoppings;
  • Universidades.

Os FIIs de tijolo são mais impactados com as instabilidades do mercado imobiliário. Uma recessão econômica pode, por exemplo, alterar a taxa de ocupação do imóvel, elevando sua vacância (espaços vagos no imóvel), reduzindo o preço do aluguel e, consequentemente, a rentabilidade do FII. Igualmente, esses fundos podem ser muito beneficiados em ciclos de crescimento.

Observar que a distribuição mensal de dividendos, assim como a valorização das cotas, dependem diretamente da taxa de vacância do empreendimento. Antes de investir em um FII avalie com atenção o indicador de Cape Rate.

FII de Papel

A carteira de um fundo de PAPEL geralmente é composta de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), que podem ser indexados a um índice de preços (IPCA, IGP-M, entre outros) ou pós-fixados, ou seja, atrelados ao CDI.

Juros e inflação

O fundo imobiliário de PAPEL quando indexado à inflação estará sujeito a expectativa e movimentos nos juros/inflação e poderá reagir a essas oscilações.

Risco de crédito

Há também o risco de crédito. Quanto melhor for o perfil de risco dos devedores e sua estrutura de garantias, mais conservador o fundo de papel será e, consequentemente, menor o retorno esperado. Estes devedores são os pagadores (pessoas física e/ou jurídica) dos recebíveis, que compõe os CRIs que estão na carteira do fundo de papel.

Renda fixa

Tratam-se de títulos de renda fixa (CRI) que pagam juros periódicos. Logo, o lucro desses fundos vem do recebimento desses juros e, eventualmente, da venda antecipada dos títulos.

FII Híbrido

O fundo HÍBRIDO é o fundo que possui uma carteira mista entre empreendimentos imobiliários, títulos imobiliários ou cotas de outros FIIs.

Os riscos envolvidos vão depender da maneira como é a carteira de ativos do fundo híbrido em questão.

São poucos os fundos que adotam uma estratégia mista e alguns fundos de fundos acabam sendo classificados como híbridos por possuírem exposição em recebíveis imobiliários, mas ficam no geral concentrados em cotas de outros FIIs.

Antes de investir em FII

Antes de investir estude, leia todos os artigos que puder. Pode começar baixando este eBook sobre FIIs. Neste ebook vou ajudar o investidor a investir por conta própria. Outra opção é o investidor contar com a ajuda de um assessor de investimento.

Ebook-fundos-imobiliarios-fiis-fii
Éverton Gaucho

Por Éverton Gaucho

Escreve sobre investimentos e tecnologia. É autor no site Caminho para Riqueza. Twitter: @EvertonCpR

Comentários