fbpx

As 10 principais estratégias de investimentos dos grandes investidores

As principais estratégias de investimentos adotadas por grandes investidores como Ray Dalio, Luiz Barsi, Benjamin Graham, Jim Rogers, John Bogle e Michael Burry, e que podem servir como um guia para o investidor criar a sua própria estratégia de investimento.

A trajetória nos investimentos

Analisar bem e com critérios os investimentos a serem realizados é a tarefa básica para qualquer investidor. A evolução dessas análises, sem dúvidas virá com o tempo. Todavia, as principais estratégias de investimentos adotadas pelos grandes investidores ao longo da história podem colaborar tanto para a evolução como para iniciar a trajetória nos investimentos.

As principais estratégias de investimentos adotadas podem variar desde estratégias mais arrojadas para enxergar boas oportunidades, como também estratégias de gestão de risco para balancear a carteira. Atreladas a essas estratégias também uma recomendação praticamente consensual para sempre valorizar o bom conhecimento dos seus investimentos.

1. Value Investing

O value investing, ou investimento em valor em português, é provavelmente a lição chave entre as principais estratégias de investimentos. Esse método para compra de ações é utilizado pela imensa maioria dos grandes investidores tanto brasileiros como estrangeiros. O pai desse tipo de análise foi Benjamin Graham.

Esse é um tipo de análise que está diretamente ligada ao valor que a empresa possui. Dessa forma, nesse caso a análise dos múltiplos da empresa, das perspectivas de lucro futuro e também da perenidade dessa empresa no longo prazo, são pontos cruciais para a tomada da decisão de investimento.

Esse tipo de análise demanda estudo para conhecer bem não apenas a empresa da qual serão compradas ações mas também o setor no qual essa empresa está inserida. Algumas variáveis como distribuição de dividendos são de suma importância, dado que é um bom indicador da rentabilidade que essa empresa pode gerar em determinado período.

O value investing é totalmente contrário ao investimento especulativo. A difusão dessa análise a partir de Graham contribuiu para uma mudança drástica na lógica do mercado financeiro. Antes disso, investir na bolsa de valores era tido como uma aposta de bar. Essa questão ressalta ainda mais a importância que essa estratégia assumiu para os investimentos em ações.

2. Análise do Valor Intrínseco

O valor intrínseco é outro ponto que vem dos ensinamentos de Benjamin Graham. Ele argumenta que é possível calcular um valor intrínseco que represente o real valor das empresas. Dessa forma, seria possível se o preço de uma ação está acima ou abaixo do valor que essa empresa realmente vale.

Esse tipo de cálculo é importante tanto para compra como para venda de ações. Dado que em momentos de crise, como durante a pandemia do Coronavírus na qual houve queda generalizada dos principais índices das bolsas de valores, é possível verificar se realmente vale a pena comprar a ação de determinada empresa.

Cálculo do valor intrínseco

O cálculo do valor intrínseco é simples, ele pode ser feito da seguinte forma:

VI = 22,5* LPA * VPA

Onde:

  • VI = Valor intrínseco
  • LPA = Lucro por ação
  • VPA = Valor patrimonial da ação

Esses valores são facilmente encontrados na divulgação periódica dos resultados das empresas. Todavia, sobre esse cálculo, alguns pontos devem ser levados em conta. O primeiro dele, é que como a base de cálculo são, em geral, números passados, esse cálculo passa um bom retrato da situação vigente da empresa. Portanto, devem ser inseridos na análise total uma perspectiva para o novo período.

3. Foco em dividendos

Uma das principais estratégias de investimentos adotadas por quem possui maior exposição ao mercado de ações, são os investimentos com foco em dividendos. Um dos grandes investidores brasileiros, Luiz Barsi, é um entusiasta dessa forma de investimento. Ele sempre recomenda a compra de ações que distribuam um bom percentual de dividendos e sempre que receber dividendos comprar mais ações. Décio Bazin, em seu livro, também discute o tema.

O investimento com foco em dividendos se preocupa menos com as variações diárias no preço da ação, a questão mais importante para essa variável é a distribuição média de dividendos da empresa em relação ao preço da ação no momento da compra. Esse tipo de análise colabora para ter uma análise de qual a rentabilidade que essa ação pode prover anualmente.

No caso brasileiro, esse tipo de investimento, se tornou uma opção ainda mais interessante a partir do novo cenários de juros baixos. Dada a conjuntura atual de juros reduzidos, empresas estáveis que distribuem dividendos maiores se tornaram uma opção mais interessante que aplicações indexadas à taxa Selic.

Dividend Yield

A forma mais simples de realizar o cálculo do Dividend Yield e ter uma boa noção sobre a distribuição de dividendos de uma empresa é analisar a média anual de dividendos distribuídos por ação nos últimos anos pela empresa. A partir dessa média basta dividir esse valor pelo preço da ação e, portanto, você obterá a rentabilidade média anual que terá através dos dividendos.

ebook-dividendos-acoes

4. Rentabilidade esperada e Taxa Interna de Retorno (TIR)

Em geral, o preço de uma ação está diretamente ligada à evolução do lucro líquido da empresa em questão. Dessa forma, a maneira mais eficiente de analisar uma ação seria estimar a rentabilidade esperada da mesma. Apesar dessa não ser uma tarefa simples, é possível realizar uma estimativa a partir da Taxa Interna de Retorno (TIR).

Em geral, os principais indicadores de uma empresa que elevam a TIR são:

  • Menos custos;
  • Maiores receitas;
  • Recebimento das receitas em prazos menores.

A estimativa desses indicadores colaboram para o cálculo da TIR. Dessa forma, é importante realizar a estimativa e comparar com os resultados efetivos divulgados pela empresa. Nesse sentido, caso as estimativas estejam distantes do valor real, é necessário realizar ajustes no modelo para aumentar ainda mais a precisão da estimativa.

Esse tipo de análise é utilizado por muitas gestoras de investimentos, inclusive por Henrique Bredda e Luiz Alves Paes de Barros, gestores do Alaska. Para Bredda, uma carteira na qual o investidor faça uma boa estimava da TIR tem grande potencial para obter rendimentos expressivos no longo prazo.

5. Investimentos em diferentes países

Enxergar horizontes mais amplos, sem dúvidas, estão entre as principais estratégias de investimentos recomendadas para quem deseja aproveitar boas oportunidades. Um dos grandes investidores mundiais que é defensor assíduo dessa filosofia, é o Jim Rogers. Esse investidor já realizou duas viagens ao redor do mundo e sempre afirma que é necessário olhar para todos os países do mundo sem preconceito para achar boas oportunidades.

Bolsas do mundo

Uma boa recomendação para realizar investimentos em países diferentes é conhecer as principais bolsas de valores do mundo. Além disso, vale apena também olhar mercados emergentes, sobretudo em relação à bolsas de valores asiáticas, como China e Índia.

Alguns países menores, não estão nas capas das revistas empresariais ou de investimentos mas muitas vezes podem ser mercados com grande potencial de crescimento. O próprio Jim Rogers aponta alguns exemplos que ele teve em sua carreira, em relação à Portugal e Irlanda, os quais estavam desacreditados em relação ao senso comum dos investidores. Mas que a partir de uma análise mais detalhada percebeu que esses dois países possuíam bons ativos a preços baixos.

Índices do mercado financeiro mundial

Além de investir diretamente em outros países, é possível adquirir produtos financeiros localmente que esteja indexado ao mercado internacional. Além disso, é possível comprar ativos nacionais que dependam diretamente de outros mercados. Nesse caso, é importante inclusive entender como os índices das bolsas de valores do mundo se correlacionam.

6. Buscar pelas “tenbaggers”

Um dos grandes investidores do mundo, Peter Lynch, criou o termo “tenbaggers”, que seriam ativos capazes de multiplicar por 10 vezes o seu valor. Ou seja, ele aponta que o investidor deve sempre estar em busca da melhor oportunidade de negócio possível e encontrar ativos capazes de realmente multiplicar seu patrimônio.

Essa busca pelas “tenbaggers”, contudo, não pode ser algo sem critérios. Apesar da recomendação de sempre buscar boas oportunidades, essas escolhas devem ser feitas atenção. Dessa forma, é necessário cumprir uma série de etapas para encontrar esse tipo de ativo.

Entre as etapas estão, por exemplo, fazer a lição de casa, conhecer bem a empresa, o setor no qual ela atua, qual sua participação no mercado e quem está por trás da gestão dessa empresa. Outro ponto é não se deixar levar pela mídia, ou seja, não comprar ações da moda. Em geral, ações da moda já foram uma “tenbagger” um dia, mas se estão nas capas das revistas, provavelmente é hora de vender e não de comprar.

Além disso, para encontrar uma “tenbagger”, é preciso também ter feeling. Além da análise concreta dos números, é importante se perguntar “Por que estou comprando essa ação?” e “Por que isso é um bom negócio?”. Dessa forma, apenas realize o investimento se a resposta para essas duas perguntas for convincente para você mesmo.

Peter Lynch ebook selecao de acoes

7. Gerenciamento de risco

Gerenciar o risco de uma carteira, provavelmente é entre as principais estratégias de investimentos, a mais complexa. Em geral, a maioria dos investidores utiliza como método para mitigar riscos, diversificar os ativos que possui na carteira. Essa pode ser uma estratégia mas há investidores que traçam estratégias de gestão de investimentos mais elaboradas para conciliar bons rendimentos e redução de riscos.

Um dos grandes investidores famoso por realizar esse tipo de estratégia, é Ray Dalio. Ele aponta que diversificar a carteira apenas comprando uma série de ações diferentes, não é uma boa estratégia. Ele aponta que ações em geral, possuem uma alta volatilidade quando comparadas com ativos como títulos de dívida, por exemplo.

Dessa forma, ele opta por montar uma carteira que ele chama de “Todas as Estações”. Essa carteira tem como objetivo se posicionar frente a todos os movimentos da economia que ele julga serem importantes e com potencial de impacto nos ativos que ele possui.

Dessa forma, em uma forma simplificada, ele monta uma carteira com ativos em ações, títulos de renda fixa de curto prazo e longo prazo, além de metais preciosos. Segundo Dalio, essa carteira conseguiria gerar bons rendimentos e com exposição controlada de risco.

Diversificação

A diversificação da carteira de ações também é uma alternativa para gerir o risco da carteira. Nesse caso, o ponto interessante é possuir ações de setores diferentes e que possam reagir de forma diferente a algum impacto inesperado. Esse tipo de estratégia, provavelmente, não suportaria uma crise generalizada, mas pode ser uma boa estratégia de proteção em casos de crises setoriais.

8. Beating the street (Encarando a rua)

Um outro ensinamento que Peter Lynch compartilha conosco é o de sair às ruas para encontrar boas oportunidades, ou como inclusive é o nome de um dos seus livros em inglês, Beating the Street.

Ele aponta que para encontrar boas oportunidades de negócios é importante conhecer bem a empresa na qual está investindo e para apurar esse conhecimento nada melhor do que conhecer o funcionamento da companhia pessoalmente. Além disso, é ressaltada a importância de conversar cara a cara com o gestor da empresa, afinal boa parte do sucesso de uma companhia irá depender de como essa gestão será realizada.

Um dos pontos importantes nessa estratégia é não ter preconceitos e não se vislumbrar. Ou seja, mesmo que a fachada de uma empresa não seja bonita, não haja uma recepção com balcão de mármore, essa empresa pode ter bons fundamentos e ser bem gerida e consequentemente pode ser uma boa oportunidade de negócio.

Por outro lado, é importante também não se vislumbrar com prédios espelhados, cafés aromáticos ou chão de mármore no escritório das empresas. Muitas vezes, essa fachada super produzida é feita para mascarar algo, ou seja, é possível que a empresa esteja escondendo práticas ruins de gestão por trás do luxo do escritório.

Dessa forma, o principal ensinamento aqui é que para o investidor em ações também é necessário sair ás ruas e conhecer pessoalmente aquilo que está comprando. É necessário compreender a compra de ações como a aquisição de uma parte da empresa, ou seja, é importante entender que você está entrando em uma sociedade.

9. Reduzir ao máximo os custos do investimento

Os custos para realização dos investimentos muitas vezes podem prejudicar muito a rentabilidade real dos investimentos. Esses custos podem variar desde taxas de corretagens, impostos, taxas de administração de fundos de investimentos, entre outros. Dessa forma, uma recomendação importante é sempre procurar maneiras de reduzir os custos dos investimentos.

Entre os grandes investidores, John Bogle é um dos que mais contribuiu com o mercado financeiro como um todo para a redução de determinados custos de investimentos. Ele é o criador do Fundo de Índice, ativo o qual com o tempo acabou por se transformar no atual ETF.

Esse tipo de ativo possibilitou sobretudo aos pequenos investidores investirem no mercado em fundos de investimentos indexados à variação de grupos de ações ou índices de bolsas de valores com taxas menores quando comparadas com os tradicionais FIAs (Fundos de Investimentos em Ações).

John Bogle e Warren Buffett

Warren Buffet chegou a afirmar que ninguém contribuiu mais para reduzir os custos de transação para os pequenos e médios investidores tanto quanto John Bogle. Além do ETF que pode ser uma alternativa, é importante buscar maneira de evitar taxas de corretagens excessivas e também taxas altas de administração de fundos.

Especialmente para os investidores que possuem um fundo de caixa aplicado em algum Fundo DI, é sempre importante analisar qual a taxa de administração desses fundos. Muitos desses fundos possuem altas taxas e acabam comprometendo boa parte da rentabilidade gerado para o cotista.

A questão do custos foi inclusive abordada por Luiz Barsi. Ele afirma que no Brasil dado os custos com taxas não é vantajoso comprar e vender ações a todo momento. Esse seria mais um motivo para aprimorar ainda mais as análises de longo prazo no momento de realizar os investimentos.

10. Conhecer bem os seus investimentos

Conhecer bem os seus investimentos é uma das estratégias chave junto com o value investing entre as principais estratégias de investimentos. Praticamente todo grande investidor afirma que conhecimento nunca é demais, portanto, é sempre importante conhecer bem aqueles ativos nos quais você irá investir.

Um dos investidores que mais ressaltam esse ponto é John Templeton. Ele aponta que antes de mais nada para um investidor é necessário investir tempo para conhecer bem a empresa na qual realizará o investimento. Além disso, ele aponta é imprescindível gastar o tempo que for necessário para esse estudo prévio.

Essa filosofia de investimento também é facilmente encontrada em entrevistas e livros de outros grandes investidores, como Peter Lynch, por exemplo. Essa estratégia parte do pressuposto que o investimento deve ser racional e não emocional. Dessa forma, sob hipótese nenhuma é recomendável realizar um investimento caso não haja estimativas concretas e bom conhecimentos que estimem a possibilidade de valorização do ativo em questão.

Dessa forma, toda análise é válida. Nesse caso, essa estratégia seria em suma a estratégia mãe muitas das outras supracitadas nesse artigo. Nesse caso cabe a cada investidor, analisar qual são as estratégias que se adequam melhor à sua análise para possibilitar que não haja lacunas com relação ao conhecimento do ativo no qual será realizado o investimento.

Considerações finais

Investimento com certeza não é uma ciência exata, todavia, mesmo assim é importante “subir no ombro de gigantes” para enxergar melhor. Dessa forma, aprender com os ensinamentos dos grandes investidores da história do mercado financeiro brasileiro e mundial é bom passo para aprimorar ainda mais as estratégias adotadas na sua carteira de investimentos.

Portanto, conhecer as principais estratégias de investimentos adotadas por grandes investidores colaboram também para dar mais ideias e buscar alternativas caso a estratégia adotada atualmente não esteja dando certo. O conhecimento acaba vindo com o tempo, mas buscando conhecimento antes pode facilitar esse aprendizado.

Vinicius Brandao

Por Vinicius Brandao

É economista e autor no blog Caminho para Riqueza.

Comentários