A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito Agropecuário (LCA) ou LCI e LCA são opções de investimento muito interessantes para quem vive o dilema entre rentabilidade e segurança. Afinal, poucos têm “nervos de aço” para sofrer perdas consideráveis no mercado financeiro.

Por outro lado, pode ser frustrante acompanhar seu patrimônio evoluindo lentamente na poupança. Ganhar dinheiro com investimentos não é tarefa simples para quem tem menor apetite a riscos.

Em busca da prosperidade financeira, muitos enxergam nos títulos de renda fixa um “porto seguro” para seu capital. Por isso, reunimos neste artigo as principais vantagens de aplicar em LCI e LCA.

Será este o estímulo que faltava para você deixar a poupança de uma vez por todas? Descubra a seguir!

Títulos bancários

Seja para a compra da casa própria ou até por razões corriqueiras, muitos pagam juros aos bancos quando tomam dinheiro emprestado.

O que nem todos sabem é a possibilidade de inverter essa lógica a seu favor. Bancos e instituições financeiras também captam recursos no mercado (tomam dinheiro emprestado).

Desta forma, levantam o capital de giro necessário para conceder crédito, obtendo ganhos mais elevados, pois cobram mais pelo dinheiro que emprestam do que remuneram quem empresta dinheiro a eles.

Os principais títulos bancários são:

  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • Letra de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letra de Crédito Agropecuário (LCA).

Liquidez e aplicação mínima

Por meio do CDB, na prática, o investidor está disponibilizando “capital de giro” para os bancos, que podem direcionar os recursos da maneira que melhor lhes convier.

Por exemplo, para abastecer produtos financeiros que para eles são altamente rentáveis:

  • o cheque especial;
  • o crédito rotativo;
  • o crédito direto ao consumidor (CDC).

Em contrapartida a essa flexibilidade, são oferecidas algumas vantagens como liquidez diária e a possibilidade de começar a investir com menos de R$ 500,00.

Também existem papéis atrelados a garantias imobiliárias e recebíveis do agronegócio: LCI e LCA, respectivamente. Estas aplicações requerem lastro, por isso seu estoque é limitado.

Os contratos estabelecem carência a partir de 90 dias para resgate da aplicação (isso foi determinado por lei), podendo chegar a 12 meses ou mais.

E o valor mínimo de adesão é bem superior: geralmente cerca de R$ 5 mil. Ressalvando que, ocasionalmente, podem ser encontrados títulos a partir de R$ 50 mil ou mais. Excepcionalmente, encontram-se esses títulos para investimentos abaixo de R$ 5 mil.

Para o investidor, qualquer um dos títulos listados acima tem exatamente o mesmo risco. Veja que para o emissor, ou seja, o banco, o dinheiro captado via CDB pode ser utilizado pelo banco para qualquer fim.

Já o dinheiro captado via LCI, necessariamente tem que ser destinado ao setor imobiliário. O mesmo ocorre com a LCA, mas nesse caso os recursos tem que ser destinados ao agronegócio.

Já para o investidor, qualquer um desses títulos é uma dívida do banco emissor, independentemente do lastro, e possui a proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até R$ 250 mil por instituição financeira. O investidor não corre o risco sobre o lastro do título em si, mas sobre a dívida do banco em geral.

Ou seja, qualquer um desses títulos é uma dívida bancária e o risco ao investidor é a própria solvência do banco emissor. Mas adiante você verá que as LCAs e LCIs ainda contam com uma garantia especial.

Rentabilidade da LCI e LCA

Também há diferença na rentabilidade destes títulos bancários, apesar de que todos eles têm as condições estabelecidas no momento da contratação.

Taxa Pré-fixada

Cabe observar que os bancos são muito habilidosos em buscar vantagens para si na oferta dos papéis. Embora menos usual, a taxa pode ser definida previamente em momentos com forte tendência de alta nos juros (Selic).

Isso acontece quando o Banco Central identifica que a inflação está elevada no país. Desta maneira, em um cenário com Selic de X% é oferecida taxa referenciada neste patamar. Com isso, confirmando-se a elevação dos juros, o investidor não seria beneficiado por essa variação e o banco evita ter que pagar mais.

Taxa IPCA + Pré

A condição de rentabilidade também pode ser híbrida, quando o banco paga a variação de um indexador como a inflação (IPCA), acrescida de uma taxa de juros pré-fixada. Isso significa ganho real líquido ao investidor.

Ganho real = ganho absoluto (X%) descontado pela inflação. Como as LCAs e LCIs são isentas de IR, o investidor sabe exatamente quanto de rentabilidade líquida, já descontando a inflação, irá receber.

Em outras palavras, saberá em termos percentuais quanto irá aumentar o seu poder de compra (tecnicamente medido pelo ganho de juros reais).

Rentabilidade atrelada ao CDI

No entanto, a maior parte dos títulos geralmente é oferecida com rendimento atrelado ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Este indicador é obtido pela média das taxas de operações de crédito realizadas entre os bancos, por isso costuma ficar muito próximo à Selic, em geral levemente inferior.

Os títulos LCI e LCA são referenciados no CDI na forma de porcentual. Os bancos maiores costumam pagar entre 80% e 84% do CDI, já as instituições financeiras menores procuram ser mais competitivas, com papéis remunerando 95% do CDI ou até mais.

Melhor que poupança

Desta maneira, as letras de crédito imobiliário (LCI) e as letras de crédito agropecuário (LCA) são consideradas muito mais favoráveis do que a poupança.

Para análise, vamos considerar um CDI  de 10%. O rendimento absoluto da poupança costuma ficar perto de 7%. Uma LCA ou LCI a 80% do CDI gera rendimento líquido de 8% e, se for a 95% do CDI, de 9,5% (36% mais que a poupança, correndo exatamente o mesmo risco).

Imagine a grande diferença que isso representa, ao longo do tempo, para aplicações de maior valor.

Benefícios fiscais em LCI e LCA

Benjamin Franklin, um dos líderes da revolução americana, legou a seguinte frase:

“Nada é mais certo neste mundo do que a morte e os impostos”

Certamente ele ficaria assombrado com a elevada carga tributária brasileira. Ter o governo como “sócio” é um dos maiores obstáculos para alcançar a prosperidade financeira em nosso país.

Isenção de Imposto de Renda

A boa notícia para os investidores é que LCI e LCA contam com isenção do Imposto de Renda (IR) para pessoa física. Essa condição se deve ao fato de serem títulos destinados a financiar setores estratégicos da economia, o mercado imobiliário e o agronegócio.

O mesmo não acontece com o CDB, no qual o IR é aplicado de forma regressiva conforme o período de aplicação. A maior alíquota é de 22,5% sobre os rendimentos, para o resgate em até 180 dias, reduzida para 20% até um ano, até chegar o menor patamar: 15% a partir de 2 anos.

Vamos supor que um capital de R$ 200 mil seja distribuído em partes iguais entre uma letra de crédito e um CDB (R$ 100 mil em cada um).

E também que, no momento da contratação, ambas as aplicações estejam pagando 90% do CDI, que para facilitar a compreensão vamos fixar em 10%.

Isso garante aos papéis uma rentabilidade anual de 9%, ou seja, R$ 9 mil para cada investimento.

Esse é o valor sobre o qual vai incidir a alíquota do IR. Quem aplicou no CDB vai resgatar R$ 107.200,00 e quem optou por letra de crédito R$ 109 mil. Uma diferença de R$ 1.800,00 em um ano ou 20% sobre o lucro!

Quanto ao Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), há isenção se o resgate não ocorre em até 30 dias. Lembrando que para LCI e LCA a carência mínima estabelecida nos contratos é de 90 dias.

Riscos da aplicação em LCI e LCA

O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) assegura o pagamento de títulos de bancos e instituições financeiras. Assim, quem investe em LCI e LCA terá seu investimento garantido até o limite de R$ 250 mil por emissor no caso de falência do banco emissor.

Vale ressaltar que o FGC devolve o montante aplicado + os juros obtidos até o total de R$ 250 mil por instituição financeira. Ou seja, se você possui R$ 500 mil nesses títulos, distribuídos em dois bancos diferentes, mesmo se ambos quebrarem ao mesmo tempo, você terá seus R$ 500 mil protegidos totalmente pelo FGC.

Também é possível adquirir letras de crédito em diferentes instituições financeiras, assim, cada aplicação terá o mesmo limite de R$ 250 mil garantidos pelo FGC.

LCI e LCA conclusão

Procuramos trazer neste artigo as principais características das Letras de Crédito e suas vantagens em relação a outros investimentos conservadores como a poupança e o CDB. Mesmo assim, sempre é recomendável a diversificação dos investimentos.

Outra sugestão valiosa é contar com aconselhamento de especialistas, recorrendo a uma assessoria de investimentos.

O que você achou da LCI e LCA? Considera incluir esses títulos bancários em sua carteira de investimentos? Então, nos siga nas redes sociais — Facebook e Linkedin — e fique por dentro de todas as novidades do assunto!

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.