Atualmente, o mundo das finanças tem atraído cada vez mais investidores. Porém, para ter sucesso nesse meio é necessário entender a forma como são realizadas as transações financeiras e como elas são conhecidas no mercado. Descubra neste artigo o que é CDI e como ele se relaciona com seus investimentos financeiros.

Certificado de Depósito Interbancário

O CDI é o Certificado de Depósito Interbancário, possivelmente você já ouviu falar sobre ele, mas poucas pessoas realmente sabem o que significa e como pode interferir no rendimento do seu dinheiro.

Neste post, você encontrará o que precisa saber sobre o que é CDI. Continue a leitura.

O que é CDI?

Os bancos, assim como outras empresas precisam de formas para financiar suas atividades. Basicamente, essas instituições tomam valores emprestados, para emprestar a outras pessoas.

Banco Central

Para explicar melhor, uma das regras do Banco Central é o saldo positivo do caixa das financeiras ao final do dia. Isso significa que as transações de saída não podem ser maiores que as de entradas de dinheiro. Esse tipo de situação pode ocorrer e é comum, diante disso, precisou-se criar uma solução para equilibrar as contas, surgiu então o CDI.

Transação entre bancos

O Certificado de Depósito Interbancário, é uma transação entre bancos, ou seja, são títulos emitidos entre essas instituições, para a transferência de valor. Sua única finalidade é realmente cobrir o saldo negativo, isso explica o prazo desses empréstimos, que são de apenas um dia.

Taxa CDI

No entanto, o CDI não é um investimento e, na realidade o nome correto é DI, mas ela se popularizou como taxa CDI e é utilizada como referência para a maioria das aplicações financeiras.

DI

A DI, ou Di-over, é divulgada pela Cetip e pode ser acompanhada pelo seu site. Logo na página principal, é possível ver o percentual dessa taxa, que atualmente (outubro de 2017) é de 9,14% ao ano. Mesmo com as variações diárias, esse dado é anual.

e-book habitos de grandes investidores

Qual a relação do CDI e da Selic?

Sistema Especial de Liquidação e de Custódia; essa é a Selic. Ela é a taxa básica de juros para os títulos públicos (taxa básica de juros da economia nacional), enquanto o CDI é o taxa de negociação (ou taxa de empréstimo) entre as instituições financeiras.

A Selic é determinada pelo COPOM (Comitê de Política Monetária) em reuniões que ocorrem a cada 45 dias. Já o CDI é uma taxa flutuante, que gira em torno da taxa Selic.

Ambas as taxas são muito conhecidas no mercado financeiro, porém para ter bons resultados nos seus investimentos, é necessário possuir conhecimento sobre as diferenças entre elas.

Normalmente, elas são usadas como referencial para os objetivos almejados. A diferença básica é que; enquanto a Selic é paga diretamente pelo governo, o CDI é pago pelas instituições financeiras.

CDI segue a progressão da Selic

Em porcentagem, a diferença entre elas é mínima, historicamente o CDI segue a progressão da Selic.

O principal objetivo de um investidor é ter o máximo de lucratividade possível de suas aplicações de capitais. Sendo assim, o CDI é usado como meta a ser batida, principalmente em renda fixa e fundos de investimento, prática conhecida no mercado como benchmark.

Quais os investimentos que acompanham o CDI?

Como já mencionamos, o CDI não é um investimento. O que acontece hoje são aplicações em investimentos atrelados a ele, utilizando-o como uma taxa de regulação.

Pesquise a melhor rentabilidade

Embora a grande maioria dos investimentos de renda fixa sejam indexados pela taxa de CDI, deve-se pesquisar a melhor rentabilidade, pois pode variar de instituição para instituição.

Por exemplo, enquanto um grande banco paga normalmente um percentual abaixo do total do CDI para um investimento em CDB, um banco menor pode pagar para o mesmo tipo de aplicação um percentual superior a 100%.

Investimentos calculados pelo CDI

A pesquisa e o estudo são sempre os melhores recursos para lidar com o seu dinheiro. Veja agora quais são os principais investimentos que são muito normalmente calculados pelo CDI:

  • CDB – Certificado de Depósito Bancário. São títulos emitidos pelos bancos para captar recursos e emprestar a terceiros, tendo como característica importante a sua seguridade. Isso se dá porque ele é protegido pelo FGC (fundo garantidor de crédito), que é utilizado em casos de falência da instituição, protegendo assim, os investimentos de até R$ 250.000,00 por emissor.
  • LCI – Letra de Crédito Imobiliário. São investimentos realizados para impulsionar o setor imobiliário, que geralmente apresentam bons rendimentos devido ao seu tempo de aplicação. Uma das suas grandes vantagens é ser isento de imposto de renda, porém, sua liquidez é normalmente mais baixa. Devido a isso, é importante que o investidor analise bem suas condições para não ter necessidade de resgatar esse valor antes do tempo estipulado.
  • LCA – Letra de Crédito do Agronegócio. Assim como a opção anterior, a LCA é destinado a impulsionar um setor específico, no caso o agronegócio. Entre as suas vantagens, podemos citar sua proteção pelo FGC e ser isento de IR.
  • LC – Letra de Câmbio. São títulos emitidos por financeiras, também protegidos pelo FGC. No entanto, esse tipo de investimento possui imposto de renda, que pode variar de 15% a 22,5%, dependendo do período da aplicação.
  • Fundos de Investimentos. Funcionam como uma espécie de condomínio, onde vários investidores depositam o seu dinheiro em busca de um objetivo comum. Os fundos tem estratégias e regulamentos específicos e são administrados por um profissional do mercado financeira conhecido como gestor. A maioria dos fundos de renda fixa buscam superar o CDI.

ebook O guia definitivo para ter sucesso em investimentos financeiros

O CDI pode ser superado?

Apesar de os investimentos atrelados ao CDI serem os mais tradicionais, existem outras formas de aplicar seu dinheiro.

Títulos Públicos (tesouro direto)

As taxas aplicadas no tesouro direto podem não necessariamente serem atreladas ao CDI e, por serem títulos do governo, são considerados os mais seguros do mercado financeiro. A bolsa de valores é outra forma de investir que possibilita um alto retorno.

Fundos multimercado

Além desses, podemos mencionar os fundos multimercado, que trabalham com diferentes formas de investir, praticando políticas que envolvem vários ativos financeiros. Eles costumam ser bem variáveis, apresentando momentos de altos e baixo rendimentos.

O CDI é muito mencionado no dia a dia no mercado financeiro e é essencial compreender todas as suas implicações, pois é por meio dele que se pode estudar os diferentes tipos de investimentos, analisar a rentabilidade e verificar a confiabilidade dos projetos.

Perfil do investidor

Obviamente, em qualquer tipo de aplicação financeira é necessário uma análise, comparar como cada título se aplica ao seu perfil de investidor e como isso é imprescindível para obter os melhores resultados.

Além do mais, para entrar no mundo dos investimentos é preciso ter um planejamento monetário organizado, de forma a aplicar suas economias levando em conta sua realidade financeira.

Investir é sempre uma boa opção para aumentar seu capital, porém para quem está ingressando nesse meio é importante estar atento a todas essas informações.

Estude os melhores investimentos

Agora que você conhece um pouco mais sobre o mundo das finanças e sabe o que é CDI, estude os melhores investimentos para você, converse com assessor de investimentos e veja como está a rentabilidade dos títulos atrelados a essa taxa.

Gostou das nossas informações e quer saber mais dicas sobre investimentos? Assine o nosso canal no Youtube.

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.