O que é a Comunicação Empática (ou Não Violenta)

Por Éverton Gaucho - 16/11/2020
.

A comunicação não-violenta (CNV) ou comunicação empática é um método desenvolvido pelo psicologo Marshall Rosenberg, com base em seus estudos e experiências. Ele fundou o Centro Internacional de Comunicação Não-Violenta.

A partir dos anos de 1960 Marshall trabalhou e ensinou técnicas de comunicação e mediação. O resultado deste trabalho gestou uma nova abordagem de comunicação, que ele denominou Comunicação Não-Violenta ou Comunicação Empática.

caminho para riqueza no telegram

A Estrutura da Comunicação Empática

O estudo e a prática da Comunicação Não Violenta é composta por quatro importantes aspectos. Cada aspecto, um após o outro, deve ser abordado para tratar uma situação de comunicação entre duas pessoas ou entre grupos.

Por exemplo, um casal com um problema ou um grupo que precisa resolver uma questão política interna. Ambos contextos podem se beneficiar do uso da Comunicação Não Violenta. Os aspectos principais que a Comunicação Empática valoriza em sua estrutura de ação são: observação, sentimento, necessidade e pedido.

Observa-se o fato, procura-se reconhecer o sentimento, entende-se a necessidade decorrente e faz-se o pedido honesto. Dorothy Maclean era uma pessoa muito inteligente no uso da comunicação empática.

#1 Observação

Ao observar deve-se atuar como um real observador. O maior erro aqui é o julgamento ou algum viés. O uso das palavras é muito importante, preconceito, julgamento ou emoções durante a observação não são condizentes.

#2 Sentimento

Neste segundo passo a pessoa deve refletir e expor o seu sentimento verdadeiro. Ela deve dizer como se sentiu em relação ao caso em questão. A Comunicação Não Violenta possui vários mecanismos que ajudam o interlocutor a entender e expor os seus sentimentos.

#3 Necessidade

No terceiro passo o interlocutor olha para dentro de si e considerando o que observou e o que sentiu, ele expõe a sua necessidade, com suas próprias palavras. A qualidade com que realizou os passos anteriores é fundamental para um boa reflexão quanto a sua verdadeira necessidade. Na prática elas tendem a ser simples.

#4 Pedido

No quarto e último passo o interlocutar faz um pedido. Este pedido atende a sua necessidade, mas é feito considerando o que foi observado e os sentimentos do interlocutor.

Habilidades para praticar a CNV

Rosemberg também trouxe luz algumas importantes habilidades que o interlocutor deve procurar desenvolver. A CNV promove maior profundidade no escutar, aumento do respeito e a empatia, e provoca um desejo mútuo de fazermos escolhas pelo coração.

Escuta ativa

Na escuta ativa calamos a nossa conversa interna, aquele processo de falar consigo mesmo enquanto nosso interlocutor está falando.

Escutamos o nosso interlocutor sem interrompe-lo, prestando atenção em suas palavras ativamente. Para concluir a escuta ativa devemos repetir, com nossas próprias palavras, tudo o que nosso interlocutor nos disse.

Eu o desafio a praticar a escuta ativa com alguém “fácil” de escutar, e depois com alguém “difícil” de escutar. Perceba o quanto é incomum e desafiador escutar de forma ativa.

O significado de Empatia

A empatia é a compreensão respeitosa do que os outros estão vivendo.

Ouvir somente com os ouvidos é uma coisa. Ouvir com o intelecto é outra. Mas ouvir com a alma não se limita a um único sentido, o ouvido ou a mente, por exemplo. Portanto, isto exige o esvaziamento de todos os sentidos. E, quando os sentidos estão vazios, assim todo o ser escuta. Então ocorre uma compreensão direta do que está ali mesmo diante de você, que não pode nunca ser ouvido com os ouvidos ou compreendida com a mente.”
(Chuang-Tzu)

Resumindo, Chuang-Tzu (filósofo chinês), a verdadeira empatia requer que se escute com todo o ser.

Ao nos relacionarmos com os outros, a empatia ocorre somente quando conseguimos nos livrar de todas as idéias preconcebidas e julgamentos a respeito deles.

Além da CNV

Outros processos de autoconhecimento, além da CNV, que podem levar o investidor a um maior nível de autoeducação, autoresponsabilidade e, por consequência, conquistar melhores resultados são:

  • Meditação;
  • Heartmath;
  • Artes marciais;
  • Estudos filosóficos (Aristoteles, Budismo, Cabala, Blavatsky, R. Steiner, Krisnamurti, Beneditinos, etc);
  • Medicina integrativa;
  • PNL e Hipnose Ericksoniana;
  • Estudo da cura pelas plantas;
  • Nutrição espiritual;
  • Tensegridade.
Éverton Gaucho

Éverton Gaucho

Escreve sobre investimentos e tecnologia. É autor no site Caminho para Riqueza. Twitter: @EvertonCpR, clique para ler mais...