Para quem não tem muita experiência, aplicar dinheiro pode ser amedrontador. É preciso estar disposto a correr risco, ainda que mínimo, para obter determinada rentabilidade. Em épocas de crises econômicas, o medo de investir se torna ainda maior.

A instabilidade do mercado, o encarecimento do custo de vida e a falta de perspectiva de mudança são alguns fatores que fazem com que as pessoas fiquem com o pé atrás. Contudo, deixar de aplicar o dinheiro pode ser muito prejudicial e até gerar uma situação financeira desfavorável.

Anda com medo de investir? Então veja por que superar esse receio e como atingir a prosperidade financeira.

Por que não investir em nada pode ser prejudicial?

Quando o medo de investir é grande, é muito comum que o dinheiro não seja aplicado em lugar algum. O problema é que isso compromete intensamente os seus resultados e traz grandes prejuízos, sendo o primeiro deles relacionado ao poder de compra.

Poder de compra

Historicamente, a inflação no Brasil caminha em ritmo positivo. Mesmo quando ela fica dentro do teto previsto, há uma desvalorização monetária ao longo do tempo. Isso significa que seu dinheiro valerá menos de um ano para o outro se você não aplicá-lo. Com menor poder de consumo, o patrimônio é o maior prejudicado.

Hábitos financeiros saudáveis

Além disso, investir é uma ação ligada a hábitos financeiros saudáveis. Afinal, só é possível aplicar parte do dinheiro se tudo estiver em dia. Se essa possibilidade não faz parte da rotina das suas finanças, há grandes chances de você se ver longe de poupar dinheiro.

habitos de investidores

Construir patrimônio

Para completar, essa é uma ação que se relaciona a construir patrimônio. Graças à rentabilidade, é possível multiplicar os seus recursos. Com consistência — ainda que na crise —, é viável chegar à prosperidade financeira e fazer o seu dinheiro trabalhar para você. Em alguns casos, dá até para viver de renda — e essa é outra oportunidade perdida quando o medo de realizar investimentos toma conta.

Qual é a importância de um planejamento financeiro bem estruturado?

Para ter sucesso na tarefa de investir e rentabilizar, a educação financeira é indispensável. Essa etapa garante que os recursos sejam bem utilizados, o que melhora o desempenho. Para colocá-la em prática, vale pensar em ter um bom planejamento financeiro.

Disponibilidade financeira

Ele deve ser composto, por exemplo, pela sua disponibilidade financeira. Verifique o que entra e o que sai das suas finanças, de modo a identificar o quanto você pode investir por mês, mas também não ignore a importância de atingir a prosperidade financeira. É conveniente aliar planejamento aos objetivos de obtenção dos recursos.

Investimento em longo prazo

Caso a ideia seja ter maior segurança na aposentadoria, por exemplo, o plano deve incluir um investimento em longo prazo, seguro e que ofereça uma boa performance. Já se o interesse é alavancar o patrimônio, é interessante voltar sua atuação para os caminhos com maior rentabilidade.

Além de isso otimizar o desempenho do seu dinheiro, é uma ótima forma de perder o medo de investir. A partir da segurança e da visibilidade do planejamento, fica mais fácil obter os resultados desejados.

Guia de Planejamento Financeiro Pessoal e investimentos

Quais são as melhores alternativas disponíveis quando há medo de investir?

Diante do receio de aplicar o seu dinheiro, é preciso pensar nas oportunidades mais atraentes. Ao reconhecer essas opções, será simples definir o que faz sentido dentro do conjunto de planejamento e objetivos. A educação e a prosperidade financeira andarão juntas para que essa seleção seja adequada.

A seguir, veja quais são as principais possibilidades, entenda os perfis de risco e descubra quais são os melhores caminhos:

Renda fixa

A renda fixa é normalmente considerada uma escolha conservadora. Tem mais garantias e ajuda a diminuir o medo de aplicar o dinheiro. Entre as possibilidades, podem-se escolher alternativas que se encaixem perfeitamente na sua realidade.

Pré ou pós-fixada

Para começar, você poderá investir de maneira pré ou pós-fixada. No primeiro caso, é viável saber o valor que será recebido no momento em que se aplica o dinheiro. Com isso, há um aumento de previsibilidade. Já o pós-fixado varia com índices diversos. O valor pode ser maior ou menor que um pré-fixado, mas pode haver a garantia de recebimento.

Títulos públicos no tesouro direto

Além disso, existem ainda várias opções disponíveis. O Tesouro Direto, por exemplo, consiste na aquisição de títulos públicos, que são pré-fixados ou variam de acordo com a Selic ou com a inflação. Essa é uma escolha segura e traz ótimo desempenho financeiro.

Títulos privados

Os títulos de crédito privado (debêntures, CRAs e CRIs) oferecem bastante diversificação de emissores. Podem contar com garantias reais muito interessantes e normalmente oferecem ótima remuneração ao investidor. Sem dizer que você pode optar por títulos que contam com isenção fiscal.

Webinar Como investir com isenção fiscal em títulos de crédito privado

Certificado de Deposito Bancário (CDB)

Já o CDB é uma forma de “emprestar” dinheiro aos bancos. O rendimento é fixado previamente ou ocorre de acordo com outros indexadores, como o CDI ou o IPCA. Com melhor possibilidade de liquidez, pode ser uma alternativa conveniente.

Fundos DI

Enquanto isso, os fundos DI ou referenciados diversificam a aplicação entre títulos públicos e outras oportunidades de renda fixa. É ideal para quem busca variar o destino do dinheiro, sem ter que se preocupar com a segurança.

Renda variável

Por mais que o medo de investir exija a seleção de opções mais confiáveis, não se pode ignorar o potencial de rentabilidade de outras escolhas. Quando se supera aquelas que são mais conservadoras e se corre um risco um pouco maior, é possível conseguir um melhor desempenho financeiro.

Fundos de investimento

Além disso, é um jeito de diversificar as aplicações, o que também ajuda a diminuir os riscos. Uma excelente oportunidade nesse sentido consiste em recorrer aos fundos de investimento.

Como funcionam de forma parecida a condomínios, eles garantem que cada participante faça o pagamento de cotas. O montante é administrado por um profissional que aplica em várias oportunidades da renda variável.

Guia para escolher o melhor fundo de investimento e construir riqueza

Nos fundos de ações, por exemplo, o dinheiro é distribuído entre diversas empresas. Assim, há uma diluição do risco e um aumento nas oportunidades.

Ações da Bolsa Valores e outros

Também será possível recorrer ao investimento em ações simples, investimento em câmbio, e investimento em mercado futuro e em outras alternativas. Ao escolher a melhor configuração para os seus objetivos e para o apetite ao risco, ficará muito mais fácil atingir os seus interesses.

Superação do medo de investir

O medo de investir é natural, mas precisa ser superado. Ao usar a educação financeira, as suas finanças serão favorecidas e poderão se multiplicar.

Para que não restem dúvidas ou receios, aproveite e descubra como ganhar dinheiro com as aplicações financeiras e use-as a seu favor!

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.