fbpx

John Bogle: Como suas ideias podem contribuir para seus investimentos

John Bogle fundou a Vanguard Group, que revolucionou o mercado financeiro ao criar as ETFs (exchange trade funds). Seu livro “Common Sense on Mutual Funds” (ainda não lançado no Brasil) sobre fundos mútuos tornou-se um bestseller e um clássico dos investimentos.

Filosofia de investimento

John Bogle foi um investidor com filosofias de investimento e ideias com relação a fundos de investimentos um pouco diferente do convencional. Todavia é justamente essa visão out of the box de Bogle que fez com que ele fundasse a gestora de fundos Vanguard e criasse o fundo de índice ou ETF.

Sempre foi um investidor que expunha conceitos de investimentos que colaboram para qualquer investidor sobre como analisar e formar seu portfólio. Desde a visão de longo prazo, passando pela simplicidade em detrimento da complexidade e chegando a um dos grandes focos de Bogle que é a necessidade de reduzir custos para realizar suas operações de investimento.

Quem foi John Bogle?

john boglo sentado na mesa

John Bogle teve uma origem simples, nascido em Montclair, New Jersey, trabalhou como garçom para arcar com os custos da faculdade de Economia em Princeton. Após a faculdade, Bogle foi contratado pelo Wellington Fund, essa foi a primeira experiência de trabalho no mercado de investimentos.

Após algum tempo trabalhando com o Wellington Fund, John Bogle foi demitido devido a uma disputa entre acionistas. Após sua demissão, Bogle fundou o Vanguard Group of Investment Companies, a partir desse momento a trajetória dele como investidor passa por uma mudança drástica. Bogle costumava afirmar que foi demitido com entusiasmo do Wellington Fund, dado que após esse evento, a vida dele como investidor alavancou.

Inovações da Vanguard

A Vanguard é uma das maiores gestoras de fundos de investimento do mundo até os dias atuais, a maior inovação da Vanguard e de Bogle, foi a criação do fundo de índice em 1975. Tal fundo é mais conhecido nos dias atuais como ETF (Exchange Traded Fund) e comercializada nas bolsas de valores como se fosse uma ação.

As ETFs

Em suma, esse tipo de fundo acompanha a rentabilidade de determinado índice de referência. Dessa forma, por exemplo, um ETF cujo objetivo é acompanhar o índice Bovespa, o gestor desse ETF irá adquirir ativos que acompanhem a rentabilidade desse índice. Essa lógica vale para qualquer outro índice, como S&P 500 da bolsa de NY, por exemplo.

Fundo mútuo

Apesar de Bogle e a Vanguard serem mais conhecidos com relação aos fundos de índice, essa gestora também teve papel importante na expansão dos fundos mútuos. Os quais em suma, são os fundos de investimentos mais convencionais, como fundos de ações, renda fixa e multimercado.

Investimento de baixo custo

A criação do fundo de índice por Bogle tinha o objetivo de prover para os investidores, sobretudo os investidores pequenos e médios, a possibilidade de realizar investimentos no mercado de ações de forma diversificada e a baixo custo.

Redução de taxas administrativas

Bogle afirmava sempre que as taxas cobradas nos fundos de investimentos em geral acabam por onerar os investidores na maioria das vezes. Segundo ele, a grande maioria dos gestores de fundos não realiza um trabalho que justifique a remuneração que eles recebem, pois não conseguem gerar aos cotistas do fundo uma rentabilidade que seja acima da média do mercado descontada as taxas cobradas.

Investimento em ETF

Dessa forma, os ETF criados pela Vanguard costumam cobrar cerca de 0,2% de taxa de administração, ao passo que a maior parte dos fundos de ações costuma cobrar cerca de 2%, cerca de 10 vezes mais.

Ele aponta que como a tarefa do gestor do fundo de índice é apenas perseguir a rentabilidade do índice, o seu trabalho é reduzido. Dessa forma, esse tipo de fundo possibilita a cobrança de taxas nesses patamares.

Warren Buffett sobre John Bogle

Essa criação de Bogle gerou e ainda gera admiração de grande parte dos investidores do mundo, inclusive de mega investidores. Warren Buffett costuma afirmar em entrevistas que ninguém colaborou tanto para beneficiar pequenos investidores e prover condições para que eles pudessem ter boa rentabilidade na bolsa de valores como fez John Bogle.

Dificuldade em ter rendimento acima do mercado

John Bogle costumava afirmar também que os gestores de fundo dificilmente irão bater a rentabilidade do mercado. Ele dizia que isso até pode ocorrer em alguns períodos mas devido à volatilidade do mercado, a possibilidade do gestor ficar abaixo do mercado em alguns anos é grande.

Dessa forma, para ele a melhor estratégia é possuir a maior parte do portfólio alocada em ativos que acompanhem a rentabilidade do mercado a baixo custo. Isso possibilita auferir ganhos razoáveis e utilizar a parte restante do portfólio para ativos de risco que possibilitem ao investidor auferirem ganhos acima da média em cada período específico.

Além disso, a oscilação por parte dos fundos tende a levar a perda de confiança por parte dos cotistas em relação ao gestor do fundo. É nesse cenário que aumenta a importância e a popularidade dos fundos de índice dentro do mercado.

Diversificação de investimentos

Uma da filosofias do fundo de índice é também possibilitar ao pequeno e médio investidor diversificar sua carteira de investimentos. Como o ETF busca atingir a performance de determinado indicador, o investidor não é obrigado a tomar o risco de apenas um ativo, por exemplo.

Outro ponto a ser destacado, é que essa modalidade de investimentos possibilita também a entrada de determinado grupo de investidores no mercado acionário. Dado que o capital disponível de alguns investidores é reduzido, esses tenderiam a alocar em ativos com maior segurança dada a impossibilidade de adquirir ações variada.

saiba-como-diversificar-sua-carteira-de-investimentos

Exposição ao mercado acionário com ETFs

Nesse sentido, o ETF proporciona a possibilidade desses investidores se exporem ao mercado acionário e ao mesmo tempo diversificar os investimentos. Dessa forma, não é um exagero afirmar que as inovações da Vanguard e de Bogle contribuíram não só para ele mas também para o fortalecimento e expansão do mercado financeiro.

Além disso, o ETF também colabora para investidores que possuem outras ocupações e possuem pouco tempo para realizar análises e acompanhar o mercado, sobretudo no mercado brasileiro que possui um nível de oscilação maior quando comparada à bolsa de valores americana.

Assessoria de Investimentos

Alocação de investimentos

Como criador do ETF, não é difícil perceber que Bogle se preocupava bastante com a redução dos custos para realizar os investimentos. Ele inclusive afirmava que mais importante do que se preocupar extremamente com a alocação das ações, era importante focar na redução dos custos que poderia impactar negativamente a carteira de investimentos.

Diversificação segundo Bogle

boglo escrevendo em sua mesa

Nesse sentido, ele costumava aplicar quase toda a sua carteira em ações e títulos da dívida, tanto públicos quanto privado. Um ponto a ser destacado, é que na visão dele os ETF já proporcionavam a diversificação dos investimentos. Dessa forma, não seria tão necessário se preocupar em diversificar ainda mais o portfólio.

ETF no Brasil

Diferente do mercado norte-americano, os ETF no Brasil ainda estão começando sua fase de expansão. O primeiro ETF criado no Brasil foi no ano de 2004, mas esse tipo de investimento apenas começou a se popularizar nos últimos anos. Apesar da expansão desses ativos nos últimos anos, o número total presente na bolsa brasileira ainda não alcança o número de 20.

Todavia, o fato dessa modalidade ainda estar em expansão não impossibilita em encontrar boas oportunidades de negócios baseadas nesses ativos. Os índices negociados no Brasil permitem investimentos em diferentes áreas.

BOVA11, SMLL11, IVVB11

É possível encontrar desde ETF mais simples que acompanham o índice Bovespa como outros diferenciados que acompanham o índice de Small Caps (SMLL) ou até mesmo ETF que acompanham o desempenho do S&P 500 da Bolsa de NY , o IVVB11. Esse último inclusive é um meio mais simples para investir em um ativo que acompanha a rentabilidade da bolsa de valores americana.

Senso comum nos fundos mútuos

Fundos mutuos segundo boglo

John Bogle também escreveu uma série de livros descrevendo sua trajetória, sua filosofia e basicamente suas ideias de investimentos ao longo da vida. Um dos mais famosos que ele escreveu foi o Common sense on mutual funds, o que em português seria Senso comum nos fundos mútuos.

Nesse livro, ele já inicia afirmando que em linhas gerais investimento é um ato de fé. Ele realiza essa afirmação não por entender que o rendimento do investidor é fruto da sorte mas porque quando o investidor faz uma aplicação ele está confiando em alguém. Seja no gestor do fundo ou então no gestor da empresa da qual ele está adquirindo uma ação.

Fundos mútuos

Para Bogle, um dos pontos principais sobre a gestão de um fundo mútuo é a filosofia de investimentos do setor. Segundo ele, um fundo deve ser baseado em princípios, competência e disciplina.

A conjunção desses fatores tende a trazer a confiança dos cotistas, se o gestor seguir à risca a filosofia que ele apresentou para o investidor, esse estará ciente sobre as decisões de investimentos que serão tomadas com os valores aplicados por ele nesse fundo. Nesse sentido, mesmo em períodos de turbulência que possam ocorrer algumas perdas, o cotista irá manter o capital pois tem confiança na filosofia adotada.

Fundos grandes podem ser um problema

Na visão de Bogle um fundo grande, ou seja, com muito capital pode ser um problema. Ele afirmava isso porque entendia que a necessidade de alocar quantias exacerbadas de capital poderia comprometer a filosofia de investimentos adotada pelo gestor do fundo. Esse movimento poderia fazer então com que o desempenho do fundo caísse.

Nesse caso, portanto, seria importante que os gestores dos fundos apontassem algum limite de captação de aplicações. Dessa forma, a alocação do gestor poderia responder exatamente à filosofia adotada por ele.

Desconfie de fundos com muita propaganda

Um ponto importante abordado por ele, é em relação à quantidade de propaganda e anúncios promovendo fundos de investimento. Ele afirmava que quando um fundo de investimento faz muita propaganda é necessário desconfiar desse fundo.

Ele entendia que a fama de um fundo viria naturalmente devido aos seus resultados. Nessa lógica, se um fundo precisa se promover de forma artificial é porque a capacidade dele é de caráter duvidoso.

Estrutura enxuta nos fundos

Bogle entendia também que a estrutura para administração de um fundo de investimento deve ser enxuta. A estrutura deve conter basicamente o gestor, os analistas que colaborarão com o primeiro e basicamente outros funcionários que pudessem prover os serviços necessários para o funcionamento do fundo.

Ele aponta que é totalmente desnecessário replicar o que alguns fundos fazem como ter grandes estruturas de marketing, por exemplo. Para ele a simplicidade é muito melhor que a complexidade. Dessa forma, fazendo o trabalho de forma simples tende a prover melhores rendimentos.

Investimento de longo prazo

Uma das filosofias de investimento de Bogle é de que é necessário sempre vislumbrar o longo prazo. Para provar o sucesso dessa visão dele, ele recorre a indicadores históricos. Ele afirma que no curto prazo a possibilidade de oscilação de um ativo é maior, sobretudo devido à especulação. E essa lógica deve ser aplicada pelos gestores dos fundos.

Curto prazo = possibilidade perda aumenta

Dessa forma, nos casos de adquirir um ativo pensando apenas no curto prazo a possibilidade de perda aumenta. Ele aponta sobretudo para o desvio padrão do preço das ações. Ele argumenta que no longo prazo o desvio padrão vai diminuindo, o que diminui a possibilidade de perdas devida à oscilação gerada por algum movimento especulativo.

Nesse sentido, uma boa análise é um ponto importante antes de realizar o investimento. A partir de uma análise mais cuidadosa e vislumbrando um horizonte maior aumenta a possibilidade de ganhos maiores.

Esse ideal de investimento no longo prazo, inclusive, é compartilhado uma boa parte dos grandes investidores internacionais e também investidores brasileiros de sucesso, como Luiz Barsi.

Assessoria de Investimentos

Especulação é um problema

Segundo Bogle, a especulação é justamente a volatilidade. Ele afirma que as variações bruscas do mercado são devidos aos especuladores. Ele aponta que quando há algum movimento de otimismo ou boato, os especuladores aumentam suas compras, o que acaba levando a uma alta de determinada ação.

Ao passo que essas ações sobem devido ao movimento especulador, esse mesmo grupo de investidores irá vender e as ações irão voltar para o patamar anterior ou algo próximo disso. Dessa forma, ele aponta que se não fosse esse movimento, as ações das empresas iriam variar de acordo com o desempenho da empresa, ou seja, a variação do preço da ação teria fundamentos reais e não especulativos.

Clash of the cultures

O tema especulação é inclusive tema de um dos livros de John Bogle, o Clash of the cultures: Investment vs. Speculation. Nesse livro ele aponta para uma alteração nos padrões de investimento ao longo do tempo. Ele escreve que a cultura o investimento de longo prazo com o passar do tempo foi abrindo espaço para a cultura das aplicações de curto prazo, em suma, para a especulação.

Ele aponta que a especulação passa a atingir os mais variados ativos e setores dentro dessa sociedade. Ele aponta que a especulação não está restrita apenas às ações mas chegaram até mesmo ao sistema previdenciário nacional.

Necessidade de correr riscos

John Bogle afirma também que os riscos são um fator inerente aos investimentos. Segundo ele, é impossível para um investidor ter ganhos sem se expor aos riscos do mercado. Ele aponta que isso faz parte da lógica do sistema, se o investidor que ter ganhos precisa aceitar a possibilidade de perder o patrimônio investido.

Investimento em renda fixa

 Apesar de apontar para as ações como a melhor forma de ter bons rendimentos, Bogle não fecha as portas para os investimentos em renda fixa. Ele afirma que é importante alocar um percentual da carteira de investimentos em renda fixa.

Essa alocação visa especificamente suprir momentos de adversidade. Dessa forma, essa modalidade de investimentos é necessária pois possibilita alta liquidez. Nesse sentido, ao passo que não provém taxas de rendimento tão atrativas como as ações possibilitam sanar problemas eventuais, inclusive de necessidade de alteração da alocação de investimentos.

Investimento no exterior

Sobre investimento a nível global, Bogle compreende que esse é um risco desnecessário. Para ele há oportunidades suficientes a nível local nos Estados Unidos, o que durante a carreira dele sempre possibilitou auferir ganhos consideráveis sem precisar se arriscar em mercados que ele não conhece bem e além disso muitas vezes apresentam dificuldades de operacionalizar o investimento.

Oportunidades locais

Nesse item, vale ressaltar que a visão de Bogle é de alguém domiciliado nos Estados Unidos, país que possui o mercado financeiro mais desenvolvido do planeta. Todavia, a lógica dele não pode ser totalmente desconsiderada mesmo para países com menos ativos financeiros como no Brasil.

Visto que parte do argumento dele também é conhecer bem, custos baixos e facilidade para investir. Inclusive, Luiz Barsi, grande investidor brasileiro, pensa igual John Bogle neste sentido, pois para ele há oportunidades suficientes a nível local.

A lógica dele sobre esse tema vai de encontro com a de outro grande investidor norte-americano, Jim Rogers. Para Rogers, por exemplo, qualquer investimento em qualquer lugar do mundo deve ser analisado sem preconceitos e se for uma boa oportunidade você deve realizar o investimento.

Um dos maiores investidores do mundos

John Bogle foi sem dúvidas um dos maiores investidores do mundo, ele é colocado sempre nas listas de maiores investidores da história e muitas vezes no mesmo patamar de Warren Buffet, George Soros e Peter Lynch.

A atuação dele por intermédio da Vanguard também o gabarita como um investidor importante até mesmo para o desenvolvimento do mercado financeiro como um todo, em especial pela criação inovadora do fundo de índice que viria a se tornar mais tarde o ETF.

As ideias e a lógica de investimento que ele conduziu até o seu falecimento em 2019 tendem a colaborar para a tomada de decisões de investimentos, sobretudo para os jovens investidores do mercado.

assessoria-de-investimentos-personalizada-gratuita
Vinicius Brandao

Por Vinicius Brandao

É economista e autor no blog Caminho para Riqueza.

Comentários