Antes de conhecer um mais sobre o que é um investidor defensivo — e como tornar-se um —, precisamos conhecer um pouco da história do norte-americano Benjamim Graham. Filho de uma família de classe média, cursou a Universidade de Columbia como bolsista e logo depois abriu o seu próprio negócio.


Para se tornar um investidor financeiro e receber dicas de um profissional de investimentos, que tal agendar uma conversa gratuita?


Posteriormente, tornou-se professor universitário e um influente economista. Ganhou fama no mainstream ao publicar livros que ensinavam macetes sobre o mundo dos investimentos, tanto para quem era do ramo, quanto para quem era leigo no assunto. Isso o fez ficar conhecido como um dos maiores mestres do investimento financeiro do século XX.

Em um de seus livros, “O Investidor Inteligente”, o autor faz uma definição acerca do “investidor defensivo”, caracterizando-o como alguém que quer aplicar o seu dinheiro de forma segura, mas que não dispõe de muito tempo para se dedicar ao investimento. Neste post, vamos falar mais detalhadamente desse perfil e dar dicas de como você pode se tornar um. Confira!

Conheça o investidor defensivo e suas principais características

Como o próprio nome dá a entender, esse é o perfil conservador, de quem prefere não arriscar muito nas suas ações e, assim, mantém preferência por investimentos de baixo risco. Graham acreditava que pequenos investidores poderiam realizar aplicações com rentabilidade acima da média do mercado, desde que tivessem informações corretas e bastante pesquisa. Para ajudá-los, criou uma metodologia diferenciada. Mas antes, precisamos entender o conceito — afinal, quem é o investidor defensivo?

Perfil defensivo de investimento

De forma resumida, qualquer trabalhador que quer realizar investimentos, mas que não dispõe de tempo ou de conhecimento técnico suficiente para entrar nesse mercado de cabeça, pode ter esse perfil. Para não arriscar sua poupança, ele opta por aplicações mais seguras. Para que essa alternativa fosse viável ao trabalhador médio, Graham deixou claro que o investimento não é especulação, ou seja, não é uma aposta ou um chute no vazio.

Nas palavras do autor, a ação realizada

“após análise profunda, promete segurança do capital investido e um retorno adequado”.

Dessa forma, com a escolha certa, o retorno é garantido. Para ter melhores resultados, é necessário conhecer o mercado, analisar aspectos como a saúde financeira da instituição etc. Isaac Newton afirmava: “O que sabemos é uma gota, o que não conhecemos é um oceano”. Assim, não navegue pelo desconhecido — opte por lances em áreas que você domina e, sempre que possível, conte com uma assessoria de investimentos.

Saiba como montar uma carteira defensiva

Graham propôs que o investidor defensivo deveria visar as empresas médias, pois normalmente elas geram um lucro maior a longo prazo do que tradicionais títulos de renda fixa, poupança e outras modalidades mais conservadoras. Também é necessário prezar pelo alto grau de segurança. Para isso, vejamos os três principais pontos que o autor levantou!

Alocação de recursos

Em primeiro lugar, deve-se estudar como alocar os ativos. Graham recomendou que esse tipo de investidor preze por aplicações em títulos de renda fixa e ações, somente. Enquanto os primeiros oferecem uma ilha de segurança, as ações representam um pequeno barco de exploração. Dessa forma, é feito investimento direto nas empresas, que são responsáveis pelo crescimento econômico de qualquer país, estado ou cidade.

Para a renda fixa, deve ser dada preferência a títulos do governo, que podem ser negociados através do tesouro direto, pois eles dão um grau de segurança maior que outros ativos, como por exemplo, grande parte dos fundos de investimento ou os títulos de crédito privado. Isso serve para reduzir danos em caso de eventuais quedas no preço das ações que você adquiriu.

O autor destacou que pelo menos 25% dos investimentos devem ser de renda fixa, enquanto as ações podem ocupar um espaço de até 75%. Essa proporção ajuda suas aplicações a serem seguras e lucrativas ao mesmo tempo. É importante destacar que tal proporção pode variar bastante, conforme o perfil de cada investidor.

Custo médio

Graham sugeriu que sejam aplicados valores iguais em determinados períodos regulares de tempo (mês, semestre, ano etc). Assim, o investidor defensivo evita que investimentos sejam feitos apenas quando o mercado aparenta estar favorável, o que pode acabar se tornando uma grande furada e gerar prejuízos. Além disso, essa prática também contribui para que sejam feitos lances mesmo em períodos aparentemente ruins, mas que podem gerar bons rendimentos.

Diversificação

Todos os mercados oscilam, eventualmente. Se todos os seus investimentos forem aplicados apenas em uma determinada empresa ou ramo, correm o risco de afundar totalmente e de uma única vez. Para aumentar os seus ganhos e o seu grau de segurança, é recomendado que você amplie e diversifique os cenários.

Veja como montar uma carteira de ações

O principal objetivo da estratégia criada por Graham é obter ganhos acima do rendimento médio do mercado, já que é muito difícil superá-lo de forma regular. Muitos fundos profissionais sequer conseguem entregar ganhos médios e, mesmo quando alcançam essa faixa, não significa que você terá lucro com o investimento. Por isso, veja as melhores práticas defensivas!

Tenha critérios na hora de investir

O autor sugeriu que não devem ser feitas aplicações em pequenas empresas, pois elas estão mais suscetíveis a externalidades que podem levar à sua perda de valor de mercado e, consequentemente, a prejuízos para o investidor. Os critérios para selecionar as melhores oportunidades no mercado de ações levam em conta:

  • o tamanho e a estabilidade financeira da empresa;
  • a regularidade de lucro;
  • o crescimento do capital da empresa nos últimos 10 anos (o ideal é que ele seja de pelo menos 33%);
  • as razões preço/ativos e preço/lucro.

Por fim, é recomendável conferir os fundos de índice. Eles são bastante seguros para investimentos, pois acompanham determinadas tendências diretamente no mercado de ações. Dessa forma, entregam resultados que acompanham ou ultrapassam a média. Outras alternativas podem ajudar você a montar uma carteira de investimentos, como definição de perfil, objetivo etc.

Reconheça o valor da informação e do conhecimento

Nem mesmo os maiores investidores do mundo deixam de se atualizar e se informar sobre o mercado. Além disso, contam com assessorias de investimento para tomar as melhores decisões. Com conhecimento e opiniões embasadas em muita pesquisa, as chances de acerto são maiores.

Agora que você já sabe o que é um investidor defensivo, suas principais características e o que deve fazer para se tornar um, que tal começar a buscar sua prosperidade financeira hoje mesmo? Não deixe para ganhar dinheiro amanhã se você pode começar agora. Planeje-se, estude bastante e considere iniciar suas aplicações o mais breve possível.


Para se tornar um investidor financeiro e receber dicas de um profissional de investimentos, que tal agendar uma conversa gratuita?


Gostou do texto? Para conhecer outras dicas, que tal baixar o nosso e-book sobre investimentos e finanças pessoais?

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Danilo Guedine

Danilo Guedine

Educador financeiro e co-fundador do Caminho para Riqueza. Possui mestrado em Finanças e grava vídeos semanalmente para o canal Caminho para Riqueza, no Youtube.