Entenda sobre fundo de investimento em direitos creditórios

mercado financeiro disponibiliza diversos tipos de fundos para aplicações, e um deles é o fundo de investimento em direitos creditórios (FIDC). Assim como qualquer fundo, o FIDC funciona como um condomínio de investidores, que concentram seus recursos em um investimento comum. Porém, neste caso, lastreado em direitos creditórios.

Essa opção tem algumas características bem diferentes dos outros investimentos. Ela pode ser uma alternativa para diversificar a sua carteira de investimentos, buscar maior rentabilidade e variar um pouco as suas aplicações ditas populares.

Quer investir com rentabilidade? Descubra como agendando uma conversa com um profissional de investimentos.

Para isso, preparamos, neste post, as principais informações desse tipo de fundo e os principais diferenciais. Confira!

O que é o fundo de investimento em direitos creditórios?

O FIDC ou Fundo de Investimento em Direitos Creditórios é aonde pelo menos 50% do seu patrimônio como cotista é aplicado em direitos creditórios. Esses direitos são derivados de créditos que uma companhia tem para receber, podem ser parcelas de cartão de crédito, duplicatas, cheques ou até mesmo aluguéis.

Sendo assim, os direitos creditórios podem ser definidos como dívidas, que são transformadas em títulos por meio da venda a terceiros por um processo chamado de securitização, com o objetivo de conseguir recursos para a empresa. Dessa forma, o fundo de investimentos em direitos creditórios cria uma colaboração entre os envolvidos.

FIDC

O FIDC é um fundo de renda fixa, e você poderá fazer o resgate da sua rentabilidade proveniente das cotas segundo os direcionamentos do fundo, quando é o caso do condomínio aberto. Já na remuneração do condomínio fechado, o resgate só poderá ser realizado quando respeitada a data de vencimento do fundo.

eventos em investimentos e finanças pessoais

Como funciona?

Os recebíveis, ou dívidas, são emitidos pelas instituições financeiras que fazem a comercialização das cotas. Essa prática tem como principal objetivo a captação de recursos para financiar seus investimentos e atividades de modo geral.

Para garantir o funcionamento do FIDC, as operações contam com cinco participantes:

  • o cedente: empresa que vai gerar os direitos creditórios;
  • os estruturadores: representados por uma instituição financeira ou empresa de âmbito jurídico para a estruturação da operação;
  • um administrador: responsável pelo fundo diante da lei;
  • os cotistas: representados por você, ou seja, os investidores;
  • as instituições financeiras: encarregadas pelo controle dos valores. Para isso, são denominados custodiantes.

Quais são as características do FIDC?

Como dissemos, o fundo de investimento em direitos creditórios – FIDC – compra os direitos e passa a receber os pagamentos das dívidas no modo de securitização. Portando, a sua carteira poderá ser composta por um ou mais cedentes. Normalmente, os direitos creditórios são de empresas que fazem parte do setor financeiro, industrial, imobiliário, companhias de arrecadamento mercantil e hipotecárias.

Quem pode investir?

No entanto, o FIDC não é para qualquer investidor. Para estar apto a fazer aplicações nesse fundo, você precisa estar qualificado como um investidor profissional, seja pessoa física ou jurídica, com mais de um milhão de reais em aplicações e certificação da CVM (Comissão de Valores Mobiliário). O valor mínimo para aplicação inicial é em torno de R$25 mil reais.

Quais são os tipos de cota do FIDC?

Para calcular a sua rentabilidade, é considerado um dos dois tipos de cotas. Cada tipo influencia na sua remuneração e no risco atrelado a ela e, para isso, a porcentagem de cada cota é determinada no regulamento do fundo. Esses dois tipos são:

  • Cota sênior: são cotas com rentabilidade prefixada e funcionam como um título de renda fixa. As cotas seniores têm preferência para receber os rendimentos ou amortização;
  • Cota subordinada: como o nome diz, são cotas que estão subordinadas, pois os cotistas dessa categoria só poderão fazer o resgate da remuneração após os cotistas seniores receberem. Então, há o risco de sofrer com a inadimplência.

O investidor que estiver na modalidade da cota subordinada com um fundo apresentando rentabilidade maior do que a prevista, terá uma rentabilidade superior ao sênior, já que eles permanecerão com uma taxa fixa.

Afinal, é vantajoso investir nesse fundo?

Toda a restrição do FIDC aos investidores qualificados e o valor para investimentos disponibiliza algumas vantagens, deixando-o cada vez mais perto da tão sonhada prosperidade financeira. Dentre as vantagens do fundo de investimento em direitos creditórios, podemos citar:

Diversificação

Uma das primeiras estratégias de gerenciamento da sua carteira de investimentos que deve ser adotada é a diversificação. Com essa prática, você aumenta as chances de garantir uma maior rentabilidade e ainda pode se proteger de alguns riscos como a sazonalidade e oscilações econômicas.

Com isso, o FIDC pode ser visto com uma alternativa para aumentar a sua gama de aplicações financeiras e melhorar o desempenho da sua carteira. Vale citar ainda, que por ser um fundo de renda fixa a sua remuneração estará protegida de alguns riscos.

Segurança

Assim como toda aplicação financeira apresenta alguns riscos, por menores que sejam, o fundo de investimento em direitos creditórios também tem lá os seus riscos. No entanto, como dissemos, o FIDC conta com a participação de pelo menos cinco integrantes muito importantes que disponibilizam os ratings de cada fundo, facilitando a análise das características e riscos. Essa participação dos agentes auxilia na fiscalização.

Você ainda pode contar com um assessor de investimentos para fazer avaliações e verificar se o fundo está alinhado com os seus objetivos e necessidades, diminuindo consideravelmente a sua exposição a prejuízos.

Rentabilidade

A remuneração do FIDC é um dos grandes chamarizes para esse investimento. Há momentos que essa porcentagem pode superar 125% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Carga tributária

O FIDC apresenta carga tributária igual a maioria dos fundos de investimentos abertos, ou seja: segue a escala regressiva aplicada para títulos de renda fixa. Aplica-se também o come cotas normalmente.

Qual é o melhor momento para investir?

Antes de começar a aplicar o seu capital, é importante que avalie os indicadores de subordinação da cota, que permite verificar se ela está na modalidade subordinada ou sênior.

Para avaliar o melhor momento para a sua aplicação, também vale avaliar as taxas de perda e recompra de cada fundo. Dessa forma, você poderá analisar se esse investimento está de acordo com as suas expectativas e objetivos.

O fundo de investimento em direitos creditórios não é para qualquer investidor. Se você atende aos requisitos, pode ser uma ótima oportunidade para aumentar as suas opções de aplicações financeira e, como consequência, elevar a sua remuneração e atingir os seus objetivos.

Receba nosso conteúdo

Esse conteúdo lhe ajudou? Então assine a nossa newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Você pode conversar com um profissional de investimentos e saber em detalhes se o FIDC é um investimento interessante para sua carteira de investimentos.

Caminho para Riqueza

Por Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.

Comentários