Como funciona o fundo de inflação?

Você não conhece muito bem os tipos de investimentos disponíveis, mas está em busca da prosperidade financeira por meio deles? No desejo de aumentar o patrimônio familiar, muitas pessoas optam por fazer aplicações e, nessa busca, uma das opções encontradas é o fundo de inflação.

No entanto, esses fundos, também conhecidos como fundos do tipo índice e classificados pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros) exigem certa cautela, pois existe o momento certo para optar por eles.


Saiba mais sobre como alocar a sua carteira de investimentos de forma diversificada, agende um bate papo com um profissional de investimentos.


Confira a seguir do que se trata o fundo de inflação, qual a rentabilidade desse tipo de investimento e se vale a pena ou não optar por ele.

O que é o fundo de inflação?

Os fundos de inflação são também chamados de Fundos do tipo Índice, Fundos de Renda Fixa de Índice ou ainda Fundos IMA-B. Trata-se de fundos que investem em títulos cujo objetivo é superar as variações apresentadas pelo Tesouro Direto atreladas à inflação (NTN-B ou Tesouro IPCA+) e medidas pela IMA.

O IMA (Índice de Mercado Anbima) é um índice baseado em uma carteira de investimentos teórica que é composta por todos os títulos públicos que são negociados no Tesouro Nacional. As subcategorias que mais se relacionam com o fundo de inflação são:

  • IMA-B: composta por Tesouro IPCA+;
  • IMA-B 5: índice que considera NTN-Bs com data de vencimento de até 5 anos;
  • IMA-B 5+: índice que considera NTN-Bs com data de vencimento a partir de 5 anos.

Alavancagem

O fundo de inflação permite o uso da estratégia de alavancagem. Essa técnica busca maximizar os seus ganhos por meio de uma espécie de endividamento. Assim, é possível que você movimente um valor maior do que tem, na expectativa de ampliar os seus ganhos. No entanto, não são permitidas as compras de títulos que sejam atrelados ao CDI (Certificados de Depósito Interbancário) ou à Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia), a taxa básica de juros da economia brasileira.

Objetivo do fundo de inflação

Resumidamente, o objetivo desse tipo de fundo é investir nos títulos que fazem parte da carteira IMA-B e superá-la. Porém, também podem ser mais específicos e dar características de curto ou longo prazo para a carteira, buscando superar o IMA-B 5 ou IMA-B 5+. Apesar de ser considerado como um fundo de renda fixa, requer um pouco de atenção.

Categorias para inflação

Para se aprofundar no assunto, é interessante entender que a inflação pode ser dividida em quatro categorias:

  • inflação de demanda: quando há o excesso de demanda de um determinado setor;
  • inflação de custos: quando há aumento nos custos de produção;
  • inflação estrutural: quando há aumento nos preços devido à ineficiência da infraestrutura necessária no processo produtivo;
  • inflação inercial: quando há alteração na oferta ou na demanda e as pessoas acreditam que o preço de um produto continua elevado.

fundos imobiliarios

Como é a rentabilidade?

A rentabilidade do fundo de inflação pode ser considerada híbrida. Parte dela é pré-fixada e parte é pós-fixada (IPCA), já que depende dos títulos do Tesouro que são do tipo NTN.

Normalmente, os bons resultados desse investimento acontecem logo após um ciclo de alta da taxa Selic, em momentos cuja expectativa é de queda dessa taxa. Pois, quando a Selic está reduzindo, a rentabilidade do IMA-B tende a ser acelerada. Essa afirmação pode ser explicada quando observamos os rendimentos do fundo de inflação em 2012 e 2013.

Quando os juros apresentaram queda gradativa em 2012, esses fundos tiveram uma ótima rentabilidade e a IMA-B atingiu a alta de 26,68%. Entretanto, em 2013, quando os juros subiram, os resultados foram muito ruins, que resultou em -10,02% da IMA-B. Por isso, os fundos de inflação têm rentabilidade híbrida e não puramente fixa. Em outras palavras, apresentam alta volatilidade e não são recomendados para investidores conservadores.

Quais são as vantagens do fundo de inflação?

Uma das maiores vantagens do fundo de inflação é a possibilidade de gerar bons rendimentos. Ainda, eles servem como uma proteção contra a alta da inflação, que corrói a rentabilidade dos investimentos. Além disso, podemos destacar outros pontos positivos como:

Liquidez

Como o fundo de inflação investe muito em títulos públicos, é possível contar com certa agilidade quando você precisa fazer um resgate inesperado ou urgente. Entretanto, vale ressaltar que essa aplicação não é indicada para objetivos de curto prazo.

Baixo investimento inicial e custo administrativo

Em razão das aplicações serem feitas em sua maioria em títulos públicos, é fácil encontrar um fundo com investimento inicial baixo. Isso auxilia investidores iniciante ou pequenos que não têm muitos recursos a entrarem nesse mercado e a diversificarem a carteira.

Além disso, por ser caracterizado como um investimento de renda fixa e baixa complexidade, o fundo de inflação normalmente tem taxas de administração em conta.

Afinal, vale a pena ou não?

Alguns investidores fogem do fundo de inflação, já que em períodos de alta dos juros a rentabilidade, além de poder ser negativa, é de difícil previsibilidade. No entanto, esse investimento pode ser uma boa escolha caso você saiba a hora certa de fazer a sua aplicação.

Taxa Selic em baixa

Como pôde perceber ao longo deste artigo, o melhor momento para optar pelo fundo de inflação é quando a taxa Selic estiver com tendência de baixa. Esse comportamento, geralmente acontece quando a economia e a inflação estão sob controle. Sendo assim, é preciso acompanhar o cenário econômico.

Dólar como indicador

O dólar também é considerado um indicador a ser avaliado quando você opta por esse fundo. Isso se dá em razão da forte correlação que a inflação brasileira tem com essa moeda. Quando o Dólar está valorizado em relação ao Real, a inflação pode ter uma alta, puxando a taxa Selic para cima.

Carteira de investimentos diversificada

Assim, o indicado é que esses fundos apenas componham uma carteira de investimentos diversificada e não sejam a única opção. Essa dica é importante especialmente por conta da volatilidade desse tipo de aplicação e das possíveis oscilações de acordo com as manobras do governo.

O guia definitivo para ter sucesso em investimentos financeiros

Para compor sua carteira de investimentos

O fundo de inflação pode ser uma boa alternativa para compor uma carteira de investimento. No entanto, para que você tenha bons resultados, é preciso acompanhar a taxa de juros e fazer a sua aplicação no momento certo. Caso contrário, você pode perder dinheiro.

Viu como um investimento pode ser uma boa opção em alguns momentos, mas em outros não? Para ficar por dentro de assuntos como este e para aprimorar seus conhecimentos em educação financeira, assine a nossa newsletter e receba as nossas novidades!


Aproveite para compor a sua carteira de investimentos com a ajuda de um profissional de investimentos, preencha seus dados em poucos segundos.

Danilo Guedine

Por Danilo Guedine

Educador financeiro e co-fundador do Caminho para Riqueza. Possui mestrado em Finanças e grava vídeos semanalmente para o canal Caminho para Riqueza, no Youtube.

Comentários