fbpx

ETF’s no Brasil: Perspectivas para o crescimento desse mercado

O mercado de ETF’s no Brasil vem ganhando destaque nas análises de investidores e até mesmo nas recomendações de analistas de mercado. Apesar desse mercado ainda ser enxuto no Brasil, com poucas opções disponíveis quando comparada ao mercado norte-americano, esse tipo de ativo está em expansão na bolsa brasileira.

ETF’s na bolsa brasileira

Com a queda na taxa de juros, o mercado de ações se tornou mais atraente para muitos investidores, inclusive pequenos e médios. É nesse contexto que o mercado de ETF’s no Brasil vem ganhando proeminência, dado que esse tipo de investimento possibilita estar exposto à variação de ações com risco um pouco mais previsível e com custos menores em relação à fundo de ações.

O que são ETF’s?

ETF (Exchange Traded Funds) são fundos de investimento que tem como objetivo acompanhar a rentabilidade de um índice de referência. Por esse motivo, esses fundos também são chamados de fundos de índice. Os ETF’s são negociados nas bolsas de valores como ações, apesar de serem fundos de investimento.

Fundo de índice

Os ETF’s possibilitam aos investidores uma forma mais simples de acessar uma carteira diversificada de ações. Dessa forma, a partir desse tipo de investimento é possível expor o portfólio ao risco do mercado de ações mas com menos risco de oscilações bruscas, dado que a cotação desse ativo visa acompanhar um índice de referência composto por um grupo de ações.

Breve histórico dos ETF’s no Brasil

O primeiro ETF criado no Brasil foi no ano de 2004, quase 15 anos após o surgimento dessa classe de ativos nos Estados Unidos. Esse ETF foi o PIBB11, o qual era referenciado no índice IBrX-50, esse índice consolida as 50 ações mais negociadas na Bovespa. Esse ETF foi criado a partir de venda de parte da carteira de ações do BNDES no ano em questão.

Assessoria de Investimentos

Avanço dos ETF’s no Brasil

 Os ETF’s chegaram de forma tardia no Brasil e passaram um bom tempo sem chamar a atenção de boa parte dos investidores. Todavia, nos últimos anos esse mercado vem se expandindo. Atualmente 18 ETF’s estão listados na bolsa de valores brasileira. Mas esse número tende a crescer nos próximos anos.

Além do aumento do número de ETF’s disponíveis, o volume negociado desses ativos também vem crescendo nos últimos anos.

Esse crescimento é permeado por um novo cenário macroeconômico no Brasil. O Brasil ficou durante mais de 20 anos convivendo com altas taxas de juros, o que tornava os ativos de renda fixa mais atrativos, dado que garantiam uma boa rentabilidade com baixo risco. Nos últimos anos com a queda do patamar da taxa de juros, o mercado de ações vem ganhando espaço e nesse contexto o mercado de ETF’s também deslanchou.

Lista dos ETF’s no Brasil

como-investir-no-brasil-morando-no-exterior

O Brasil ainda possui um número reduzido de ETF’s quando comparado a outros países do mundo com mercado financeiro mais desenvolvido. A lista de ETF’s no Brasil incluem em sua maioria ETF de renda variável. Esses ativos estão relacionados a índices como o Bovespa, S&P 500 da bolsa de Nova Iorque, bem como índice que acompanha o mercado de Small Caps, entre outros.

Em relação aos ETF referentes à renda fixa, existem apenas 4 operados no Brasil hoje. Alguns deles são o IMAB11 que acompanha o índice IMAB referente a títulos públicos e o FIXA11 que em grande medida busca replicar a rentabilidade do CDI.

Os ETF’s listados na bolsa brasileira são os seguintes:

BB ETF S&P DIVIDENDOS BRASIL FUNDO DE ÍNDICE BBSD11
CAIXA ETF IBOVESPA FUNDO DE INDICE XBOV11
ETF BRADESCO IBOVESPA FDO DE INDICE BOVB11
ISHARES S&P 500 FDO INV COTAS FDO INDICE IVVB11
ISHARES IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICE BOVA11
ISHARES IBRX – ÍNDICE BRASIL (IBRX-100) FDO ÍNDICE BRAX11
ISHARES ÍNDICE CARBONO EFIC. (ICO2) BRASIL-FDO ÍND ECOO11
ISHARES BMFBOVESPA SMALL CAP FUNDO DE ÍNDICE SMAL11
IT NOW IBOVESPA FUNDO DE ÍNDICE BOVV11
IT NOW IDIV FUNDO DE ÍNDICE DIVO11
IT NOW IFNC FUNDO DE ÍNDICE FIND11
IT NOW IGCT FUNDO DE ÍNDICE GOVE11
IT NOW IMAT FUNDO DE ÍNDICE MATB11
IT NOW ISE FUNDO DE ÍNDICE ISUS11
IT NOW PIBB IBRX-50 – FUNDO DE ÍNDICE PIBB11
IT NOW S&P500 TRN FUNDO DE INDICE SPXI11
IT NOW ID ETF IMA-B IMAB11
MIRAE ASSET RENDA FIXA PRE FUNDO DE ÍNDICE FIXA11
     
ebook-dividendos-acoes

Provedores de ETF’s no Brasil

O mercado enxuto de ETF’s no Brasil também se reflete na quantidade de provedores de ETF’s atuantes hoje no mercado. Nos dias atuais são 6 provedores de ETF’s presentes no Brasil:

  • Ishares (Blackrock)
  • It now (Itaú)
  • Mirae
  • Bradesco
  • Banco do Brasil
  • Caixa Econômica Federal

A ishares, provedora de ETF ligada à blackrock, é a maior provedora de ETF’s do mundo inteiro, no Brasil eles possuem 5 fundos desse tipo. O outro destaque do mercado brasileiro é a It Now, provedora de ETF do Itaú, a qual possui 9 ETF’s listados na bolsa brasileira. Os outros quatro provedores presentes no mercado nacional possuem nos dias atuais um ETF cada listado.

Crescimento dos ETF’s no Brasil

Exchange Traded Funds ETF ETFs

O aumento no volume de operações relacionados a esses ativos tendem a fazer com que mais ativos desse tipo sejam disponibilizados, além da possibilidade de entrada de diferentes provedores desses ativos que já atuam em outras mercados do mundo.

Assessoria de Investimentos

Novos fundos de índice

Além da promessa de expansão dos ETF’s listados pela Mirae em 2020 supracitada, outros provedores estão em fase de lançamento de novos produtos. O Bradesco está em processo para lançar dois novos ETF’s no mercado, ambos relacionados à renda fixa, enquanto o Itaú por meio da It Now também prevê o lançamento de outros dois ativos desse tipo.

John Bogle

Além dos provedores de ETF já existentes no mercado brasileiro, a Vanguard, fundada pelo criador das ETFs John Bogle, uma das gigantes desse setor no mercado norte-americano se associou recentemente à Anbima. O responsável pela gestora no Brasil não prevê o lançamento de ETF’s no Brasil no curto prazo, mas estuda pretende acompanhar de perto o mercado brasileiro para no futuro lançar ativos desse tipo por aqui.

Indiretamente a Vanguard já está presente nos ETF’s brasileiros. O ETF do Itaú que acompanha o índice S&P 500 compra justamente cotas do ETF S&P 500 da Vanguard na bolsa dos Estados Unidos.

Baixo custo das ETF

O investimento em ETF possui uma característica positiva, a qual é em relação às taxas de administração. Os ETF’s possuem taxas de administração reduzidas quando comparadas aos fundos de investimento em renda fixa e ações. Nesses fundos convencionais, a taxa de administração costuma girar em torno de 2% ao ano, ao passo que em geral os ETF’s tem taxas na casa dos 0,5% ou abaixo disso.

Taxa administração das ETF

Esse custo reduzido com relação à administração dos ETF está diretamente relacionado à filosofia da criação dos fundos de índice pelo investidor americano John Bogle. Bogle costumava afirmar que como os fundos de índice basicamente necessita perseguir a rentabilidade de determinado índice, o trabalho do gestor é reduzido. Dessa forma, é possível oferecer esses ativos com baixo custo.

Pequenos e médios investidores

Além disso, um dos focos da criação desse tipo de ativo é permitir que pequenos e médios investidores consigam operar no mercado de ações sem uma exposição exagerada ao risco e a baixos custos.

Dessa forma, visto que nos últimos anos o número de investidores na bolsa brasileira aumentou substancialmente, o ETF se encaixa também nesse ciclo brasileiro de popularização do mercado financeiro.

Desvantagens do ETF em relação às ações

Os ETF’s possuem diversas vantagens, mas com relação ao mercado de ações convencionais ele possui duas desvantagens importantes. A primeira é em relação à taxa de administração, mesmo sendo taxas reduzidas ainda assim é custo adicional quando comparada à aquisição de uma ação comum de forma independente.

Sem isenção IR

Outro ponto que merece atenção, é que diferente das ações o ETF não possui a isenção de imposto de renda para operações abaixo de R$ 20.000,00. Dessa forma, investidores que tenham lucros mesmo em operações abaixo desse patamar devem recolher 15% referente ao Imposto de Renda. De qualquer forma essa cobrança é realidade na fonte, não havendo portanto a necessidade de emissão de DARF.

Essa cobrança não ocorre para operações realizadas com ações, nesse sentido no momento de realizar a análise para compra desses ativos é importante estar atento aos custos envolvidos na operação.

Mercado de ETF’s nos Estados Unidos

Os ETF’s existem nos Estados Unidos desde o final da década de 1980. Esses foram um desenvolvimento dos fundos de índice criados por John Bogle em 1975. A partir da criação do primeiro ETF ocorreu uma larga expansão desse tipo de ativo, chegando rapidamente a outros países como Canadá e Reino Unidos nos anos seguintes.

Abrangência dos ETF’s nos Estados Unidos

Diferente do mercado brasileiro de ETF’s, o mercado americano possui uma gama bem elevada desse tipo de ativo. É possível encontrar ETF’s na bolsa de NY com abrangência variadas, desde setores específicos até grupos de países. Alguns deles são relacionados aos seguintes índices e setores:

  • Índice S&P 500 e outros índices da bolsa de NY;
  • Índices relacionados à distribuição de dividendos;
  • Índices relacionados à renda fixa, títulos da dívida, entre outros.
  • ETF’s de Large Caps, Middle Caps e Small Caps;
  • Índices globais, como mercado de países emergentes;
  • ETF’s indexados à variação da cotação de moedas
  • Índices de regiões do plante como Ásia, Europa, América Latina, Países Nórdicos;
  • Índices relacionados a bolsa de valores de países ao redor do mundo, desde países em desenvolvimento como Brasil e Argentina, até países desenvolvidos como Alemanha e Japão
Faça agora uma consultoria de investimentos

ETF’s de setores específicos

A partir do investimento em ETF’s, é possível se expor o portfólio ao desempenho de determinado setor sem ter que adquirir uma companhia de forma específica. Esse desenvolvimento do mercado de ETF’s colaboram também para atrair investidores que possuem mais conhecimentos sobre alguns mercados em detrimento de outros.

É possível investir na bolsa de NY a partir de ETF’s em setores como:

4000 ETF’s listados

A lista de setores que possuem ETF’s ainda é mais extensa do que a supracitada. Além da maior quantidade de setores disponíveis, a quantidade de ETF’s disponíveis por cada setor é bastante ampla. Dessa forma, as estimativas apontam que no mercado norte-americano nos dias atuais existem mais de 4000 ETF’s listados.

A variedade de ativos tende a atrair mais investidores

A bolsa americana tende a atrair investidores do mundo inteiro naturalmente por ser a maior economia do mundo. Todavia, essa gama abrangente de ETF’s colabora para que mais investidores sintam-se confortáveis em investir nesse mercado.

Cannabis

Além disso, o fato de existir ETF’s de setores variados capta indiretamente investidores internacionais. Os fundos brasileiros que compram ativos relacionados à cannabis medicinal, na verdade não operam com ações isoladas, eles compram ETF’s na bolsa de valores americana que operam esse tipo de ativo.

Ouro

Esse movimento é replicado para outros setores e oriundos de vários países do mundo. Por exemplo, um fundos que queira se expor ao risco de metais preciosos, como o ouro, e não possui ativos do tipo no mercado local, tende a comprar ETF’s ligados a esse mercado na bolsa de valores dos Estados Unidos.

Quase 100 provedores de ETFs

A maior provedora de ETF’s no mercado estadunidense é a SPDR, seguida pela Ishares e pela Vanguard. Contudo, apesar de haver essas três líderes nesse mercado, existem quase 100 provedores de ETF’s na Bolsa de NY.

ETF’s nos demais países do mundo

Em outros países e regiões do mundo o mercado de ETF’s também vem crescendo . O mercado dos Estados Unidos é disparado o maior do mundo, tanto em quantidade de ativos quanto em volume de operações. Mas há outros mercados sobretudo na Europa e na Ásia que apresentam um grande volume de ativos disponíveis.

Europa e demais países desenvolvidos

O mercado de ETF’s no Canadá e na Europa, por exemplo, também é reduzido quando comparado ao americano, mas também vem ganhando proeminência. Hoje na Europa, a imensa maioria dos ETF’s são relacionados à índices dos maiores países da região como Alemanha, França, Itália e Reino Unido.

Apesar de ser um mercado menor que o americano, os mercados europeus são bem mais desenvolvidos e extensos que mercados como o brasileiro. Na bolsa de Londres, por exemplo, são listados mais de 1000 ETF’s diferentes e relacionados aos mais diferentes setores tanto do próprio Reino Unido como de outros países.

Ásia, África e Oceania

A expansão do mercado de ETF’s não está restrito a países europeus e desenvolvidos. Essa expansão também se verifica tanto em países africanos, como África do Sul e países asiáticos como Japão, Coréia do Sul, Indonésia, Índia, Cingapura, Taiwan, entre outros. Além de Austrália e Nova Zelândia.

Os países asiáticos como Japão e Coreia do Sul possuem inclusive uma lista de ETFs operados em suas respectivas bolsas de valores superior aos ETF’s presentes na bolsa brasileira, além de nesses países já existir ETF’s indexados à setores variados, como commodities, varejo, entre outros.

Influência dos mercados estrangeiros pode beneficiar o Brasil

Além da conjuntura favorável ao mercado de ações, com relação à queda dos juros, o sucesso do mercado de ETF’s ao redor do mundo pode gerar um efeito positivo para o mercado brasileiro.

Dada a já existência de uma gama de ativos relacionados aos mais variados setores da economia em outros países do mundo, o aumento das operações relacionadas à ETF’s no Brasil pode colaborar para que haja a criação de ativos similares no mercado brasileiro nos próximos anos.

O Brasil, por exemplo, possui um vasto mercado de commodities, exploração de ouro, petróleo, sem contar setores mais tradicionais como o bancário, varejista, construção civil, energia elétrica, entre outros. Dessa forma, o Brasil possui pré-condições para a expansão de mercados desse tipo, o que tende a se consolidar com a popularização do acesso ao mercado financeiro.

Expansão dos ETF’s no Brasil pode facilitar o acesso a mercados estrangeiros

O investimento de brasileiros no exterior ainda é restrito a grandes investidores ou então investidores com maior propensão ao risco. A expansão do mercado de ETF’s no Brasil pode facilitar para que pequenos e médios investidores também possam se expor ao risco de outros mercados ao redor do mundo.

Hoje no Brasil, há apenas um ETF relacionado ao mercado internacional, o qual é o ETF que acompanha o índice S&P 500 da bolsa de NY. Replicando alguns ETF’s já presentes na bolsa americana será possível aos investidores brasileiros se exporem ao risco de outros mercados como Reino Unido, China e Alemanha. Além de ETF’s relacionados à regiões e blocos econômicos, como Zona do Euro, América Latina, Mercado de países emergentes, entre outros.

assessoria-de-investimentos-personalizada-gratuita

Considerações finais

O mercado de ETF pode abrir portas importantes para os investidores no Brasil, sobretudo aqueles pequenos e médios investidores. Essa abertura pode se dar tanto para entrada no mercado de ações como um todo, mas também para investidores que tem preferência em investimentos em mercados específicos, com os quais podem possuir maior familiaridade.

Uma das vantagens importantes para esses investimentos é o baixo custo das taxas de administração cobradas por esses ativos. Essas taxas mais baixas colaboram para uma redução do impacto na rentabilidade auferida pelos investidores.

Além disso, com a maior entrada de investidores nesse mercado colabora para uma tendência de expansão dos ativos ofertados pelos provedores de ETF’s. Essa expansão tende tanto a atrair investidores brasileiros como também atrair capital internacional para a bolsa brasileira, fomentando ainda mais o mercado financeiro local frente ao restante do mundo.

Dessa forma, o ETF está em uma trajetória ascendente na bolsa de valores brasileira, frente a esse cenário, é importante para os investidores brasileiros estarem atentos aos movimentos que acontecem nesse mercado.

caminho para riqueza no telegram
Vinicius Brandao

Por Vinicius Brandao

É economista e autor no blog Caminho para Riqueza.

Comentários