ETF: A Forma Mais Fácil de Investir em Ações

Neste artigo você vai aprender: O que são ETFs, as ETFs mais valorizadas, o famoso ETF BOVA11, PIBB11, SMAL11 e tudo que você precisa saber ao investir em ETFs com segurança conta quedas bruscas. Prossigamos…

Fala investidor! Tudo bem com você? Aqui quem fala é Danilo Guedine, e no vídeo de hoje nós falaremos sobre o produto que recebe muito destaque entre os investidores: moderados e agressivos. Mas, antes de soltar a vinheta dê um like neste vídeo, pois assim como o conteúdo é importante para você, o seu like é importante para nós.

E, aproveite esse momento, você que não está inscrito neste canal, inscreva-se e habilite aquele sininho para você receber as notificações exclusivas sempre que subirmos um novo conteúdo, ok? Agora sim SOLTA A VINHETA!!!

O que é uma ETF

ETF é a sigla em inglês de Exchange Traded Fund, que nada mais são do que fundos que sintetizam um índice listado na Bolsa de Valores.

O que eu quero dizer é, como se você adquirisse a cota de uma única ação que representa o conjunto de companhias, que formam o índice.

Em outras palavras, quando o investidor compra cotas de um ETF é como se ele estivesse comprando cotas de todas as ações que compõem aquele índice.

O ETF foi lançado na Bolsa brasileira em 2004 e hoje conta com aproximadamente 15 tipos. Todos eles lastreados em índices de ações. Alguns desses ETFs são mais populares entre os investidores e nós vamos falar um pouco mais sobre cada um deles.

O ETF BOVA11

O primeiro deles talvez o mais conhecido é o BOVA11.

O BOVA11 simplesmente replica todas as ações do índice ibovespa que é o principal índice da bolsa brasileira. Então, quando você compra uma cota do BOVA11 é como se você tivesse comprado a cota de todas as ações que compõem o índice Ibovespa, na proporção que elas representam para esse índice.

O ETF PIBB11

Outro ETF muito conhecido é o PIBB11. Alguns investidores o chamam de “pibi onze”, o que é isso? Ele constitui as 50 ações mais líquidas da Bolsa brasileira.

O ETF SMAL11

O Smal11 é um ETF que sintetiza as empresas chamadas SmallCaps. O que é isso? As empresas listadas em bolsas basicamente são divididas em três tipos:

  • As Blue Chips, são empresas grandes e sólidas que já tem um modelo de negócio bem definido, geram caixa, ou seja, são os grandes conglomerados e multinacionais. São as empresas mais conhecidas;
  • Depois temos as empresas que mal conhecem ainda o seu modelo de negócio. Estão em fase de descoberta de constituição, são as chamadas Start Ups;
  • As empresas Small Caps são aquelas que ficam no meio do caminho. Já são empresas constituídas que estão operando, geram caixa mas são empresas menores e não tão conhecidas como as Blue Chips.

E o ETF SMAL11 simplesmente representa essas empresas que são listadas na Bolsa de Valores.


Comece agora a investir em ETFs, baixe nosso e-book sobre Começar a investir em Ações na Bolsa.


O ETF DIVO11

E por último, dentre os ETFs mais conhecidos, temos o DIVO11, que sintetiza uma carteira de ações daquelas que costumam pagar mais dividendos.

Diversificação de investimentos

Uma outra característica do ETF, talvez uma das que mais chama a atenção dos investidores é a grande capacidade que o ETF tem de diversificação. Dessa forma você fica livre dos riscos, da oscilação brusca de uma única empresa.

Segurança contra queda brusca

Assim, se uma das empresas que compõem o índice sofre uma queda brusca, essa queda pode ser compensada pela alta das outras ações que compõem aquele índice.

Recursos em diversas empresas

A possibilidade de aplicar recursos em diversas empresas, sem que seja necessário você debruçar para entender o comportamento de cada uma delas é apontada pelos especialistas, como um dos grandes pontos fortes dos ETFs.

Custos reduzidos

Outro ponto importante são os custos reduzidos em comparação com outro tipo de fundo, pois o ETF não tem gestão ativa. E o que que é isso de gestão ativa e passiva?

Gestão ativa e passiva

A gestão ativa é aquela em que o gestor do fundo vai escolher os ativos nos quais ele vai alocar os recursos. A gestão passiva é diferente, o gestor apenas replica o comportamento de um índice que já está definido na bolsa de valores.

Não são livres de risco

Os ETFs, no entanto, não são livres de risco, muito pelo contrário. São ativos de renda variável que estão sujeitos às oscilações das empresas que compõem os índices. Mesmo que haja uma queda brusca de uma única ação, e essa única ação especificamente é importante demais para aquele índice em questão, o ETF pode ter uma forte oscilação também.

Não são livres de risco de liquidez

E por fim, além do risco de oscilação, você ainda enfrenta o risco de liquidez. Por que? O ETF é um ativo da Bolsa de Valores, logo, por natureza, normalmente ele tem liquidez em três dias úteis. Por exemplo, se você tem mil cotas de um ETF e quer se desfazer dessas cotas… Você coloca à venda hoje, na esperança de ter esse dinheiro daqui a três dias, mas não necessariamente você encontrará compradores para aquelas mil cotas no preço que você deseja vender. Logo, essa liquidez não é garantida.


 

Se você contrata um encanador para cuidar de seu encanamento, mecânico pra cuidar do seu carro, 

agende um bate papo com um profissional de investimentos para cuidar dos seus sonhos.

sonhos-objetivos-amor-paz-prazer-sucesso-sonho

 


Já deu o seu “Gostei”?

Você já deu o seu like? Me ajude nessa jornada para a prosperidade. Vai lá e dê o seu jóinha. Ahhh, e claro, se você ainda não se inscreveu nesse canal inscreva-se AGOOOORAAAA. E, lembre-se de habilitar aquele SININHO para que você seja notificado sobre um conteúdo novo.

ETF baseado em títulos públicos

Agora eu vou te dar uma super dica. O tesouro nacional deve lançar já no próximo ano o primeiro ETF baseado em títulos públicos federais, aquele conhecido entre os investidores como tesouro direto.

E a expectativa do Tesouro é que o gestor desse fundo seja selecionado ainda este ano, lembrando que esse vídeo está sendo gravado em dezembro de 2018. E a idéia dos especialistas é que esse fundo, em pouco tempo, ganhe bastante liquidez, fomentando assim o lançamento de outros ETFs baseados em renda fixa, porém não lastreado em títulos públicos.

Sem come-cotas

E outro grande atrativo deste ETF é que não incidirá o come-cotas. Aquele imposto semestral que incide sobre os fundos multimercado, e sobre outros fundos de renda fixa. Este ETF deverá ser tributado de acordo com o prazo médio dos títulos em carteira.

Vamos investir?

E aí gostou dos ETFs??? ficou alguma dúvida??? Caso tenha ficado deixe a sua pergunta nos comentários que eu mesmo irei responder. E não se esqueça, dê o seu LIKE!!!! Compartilhe esse vídeo com seus amigos, colegas, familiares, qualquer investidor que queira investir em ETFs, já que essa pode ser uma boa opção para o investimento deles.

Ok? E, lembre-se, o caminho para riqueza é você quem faz… até o próximo passo para a sua prosperidade

Danilo Guedine

Por Danilo Guedine

Educador financeiro e co-fundador do Caminho para Riqueza. Possui mestrado em Finanças e grava vídeos semanalmente para o canal Caminho para Riqueza, no Youtube.

Comentários