Consultoria de investimento x assessoria: entenda as diferenças!

Você sabe qual a diferença entre assessoria e consultoria de investimento? Gostaria de saber se existe uma saída simples para gerar riqueza a partir da sua renda? Muitas vezes, devido à correria do dia a dia, não temos tempo para analisar e avaliar diferentes opções de investimentos, afinal, guardar dinheiro na poupança, na maioria dos casos, não é uma boa opção. Aliás, não podemos esquecer que, para cada perfil, existe uma maneira mais adequada para se investir.

Nesse texto, deixaremos bem claro para você a diferença entre consultoria e assessoria de investimento. Além disso, mostraremos algumas soluções para quem não dispõe do tempo necessário, mas deseja aplicar seu dinheiro em investimentos rentáveis.

O que é uma consultoria de investimentos?

Nada mais é que uma instituição que fornece aos investidores um planejamento de investimento normalmente de longo prazo, em troca de uma taxa. Um consultor de investimentos monitora as aplicações do cliente e, também, realiza recomendações para ajudá-lo a atingir suas metas, fazendo avaliações do perfil por meio das suas necessidades e objetivos, para que, assim, possa indicar as melhores opções para a aplicação monetária.

Por meio de profissionais especializados, a empresa consegue cobrir uma gama maior de produtos.

Para que o negócio seja bem-sucedido, é necessário que esteja sempre atualizado com as novas tendências da economia. O objetivo de um consultor é encontrar boas oportunidades que um investidor não tem habilidades e/ou tempo para acompanhar sozinho.

Tipos de consultorias de investimentos

Corretoras, bancos ou casas independentes são aptas a realizar serviços de consultoria, mas somente se forem autorizadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A CVM é o órgão que regula o mercado de investimentos no Brasil. Existe, ainda, a possibilidade de acesso a esse tipo de serviço por meio de consultorias online ou consultores independentes.

No entanto, vale ressaltar que o tipo de serviço prestado não é igual em todas essas entidades. A qualificação da recomendação que cada instituição oferece é um ponto primordial. Geralmente, o serviço prestado por gerentes de bancos e por corretoras é muito diferente dos prestados por consultores de investimento.

Para que um consultor de investimentos exerça sua profissão de forma independente, ele deve ser certificado. A maior certificação se chama CFP, e é emitida pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar, antigo IBCPF). Os seguintes conteúdos são abordados:

  • planejamento financeiro e ética;
  • gestão de ativos e investimentos;
  • planejamento de aposentadoria;
  • gestão de riscos e seguros;
  • planejamento fiscal;
  • planejamento sucessório.

Adicionalmente, é necessária a comprovação de, no mínimo, três anos de trabalho com pessoa física em, pelo menos, uma das áreas do exame. Por outro lado, pessoas físicas e jurídicas também têm a possibilidade de obter credenciamento para trabalhar com consultoria de investimentos. O objetivo, nessa ação, é assegurar ao investidor um investimento mais seguro e protegido.

Além de uma vasta lista de documentos, a pessoa física ou jurídica precisa comprovar experiência no mercado de valores mobiliários. Então, de certa forma, não se torna um processo de fácil acesso. O propósito da regulamentação é justamente credenciar apenas empresas ou profissionais que sejam realmente capazes de prestar o melhor serviço.

O que um consultor de investimentos faz?

Quando se contrata um consultor, como resultado, o investidor terá um diagnóstico inicial dos seus investimentos. Após isso, existe a otimização da sua carteira. E, para concluir, o seu acompanhamento periódico.

Diagnóstico inicial da carteira de investimentos financeiros

É necessário que o consultor seja capaz de identificar falhas na composição atual da sua carteira de investimentos. Após isso, deve indicar possíveis ações para corrigi-las.

Os problemas que aparecem com maior recorrência são:

  • intensa concentração em um certo ativo ou classe de ativos;
  • aplicação em produtos com altos custos;
  • aplicação em produtos impróprios ao perfil do investidor;
  • repetição de posições (instituições diversas, mas com conexão entre os ativos investidos);
  • discrepância de posições (operações contrárias: um adquirido e outro vendido no mesmo ativo).

Otimização da carteira de investimentos

Depois que as falhas da sua carteira foram identificadas, o consultor irá otimizá-las. Para tal, ele sugere uma composição diferente em ativos de classes diversificadas. Levando sempre em consideração que as características devem ser complementares e a segurança e os custos baixos devem ser mantidos. Nesse momento, o consultor o ajuda com conceitos de educação e prosperidade financeira.

Acompanhamento periódico

Um importante papel do consultor é continuar acompanhando a carteira de investimentos do cliente. Rebalanceamentos e revisões devem sempre ser feitas. No rebalanceamento, a orientação é vender alguns dos ativos que mais estão valorizados e comprar um pouco dos que estão desvalorizados. Na revisão, as informações pessoais do investidor são atualizadas para que sempre se mantenham coerentes.

Nessa etapa o consultor também avalia a projeção futura do cenário macro econômico do país e faz os devidos ajustes na carteira de investimentos, caso necessário.

O que é uma assessoria de investimento?

É prestada pelo assessor de investimento que tem vasto conhecimento e experiência no mercado financeiro, e que, em geral, atua afiliado a uma Corretora de Valores. É o profissional mais indicado para orientar os investidores a otimizarem suas carteiras de investimentos. Além disso, diferentemente do consultor de investimento, o assessor normalmente não cobra nenhuma remuneração ou taxa de seus clientes.

Em outras palavras, é um profissional treinado para orientar os investidores a definirem seu perfil de investidor e objetivos financeiros. Em seguida, o assessor vai identificar as melhores alternativas de investimentos para que o cliente atinja seus objetivos da melhor forma e dentro do seu perfil.

O assessor de investimentos também identifica os momentos de alta e baixa do mercado para saber qual o momento certo para se fazer uma determinada aplicação ou realizar alguma aplicação que já esteja na carteira do investidor.

Além disso, o assessor de investimentos também é o responsável por fazer o monitoramento constante da carteira de investimentos dos seus clientes. Sempre que houver oportunidades de melhoria o necessidade de mudança devido a alguma mudança de rumo da economia, o assessor informará seus clientes.

Dessa forma, o assessor está sempre acompanhando as tendências da economia, ajudando você nas decisões. E você ainda não tem o problema de ficar engessado somente com as opções de investimento que os bancos ofertam.

Tipos de assessoria de investimento

Em algumas assessorias habituais, o cliente pode se dirigir até um escritório para dialogar com um assessor e obter um atendimento personalizado. Mas, ainda que seja bem mais propício que o banco, em geral, esse serviço é mais oneroso do que uma assessoria online.

Todo o serviço de assessoria online é baseado em inovação. O ambiente que liga finanças e tecnologia é capaz de atender de uma melhor forma os investidores. Pelo fato de não depender de estruturas físicas, esse tipo de assessoria otimiza a rotina do investidor, o que não significa que seja de menor qualidade. O foco principal é otimizar, ao máximo, a experiência do investidor com o auxílio da flexibilidade e segurança.

O que um assessor de investimento faz?

Além de todas as atividades mencionadas acima, outro atributo do assessor de investimentos é explicar para os investidores de forma clara e objetiva a dinâmica do mercado financeiro e de cada produto. O assessor é quem ensina o investidor as características de cada ativo financeiro, os riscos vinculados a cada produto, as vantagens, desvantagens, tributação, a quem e quando uma determinada aplicação é recomendada.

Ele também Identifica clientes para investimento na bolsa de valores, proporcionando assessoria no mercado de capitais. Reconhece perfil de investidor, estuda praticabilidade, elabora métodos de investimentos e apoia na tomada de decisões.

É muito importante contratar um assessor pois ele avalia quais são os seus propósitos de curto, médio e longo prazo de uma forma técnica e prática. O objetivo é determinar qual o seu perfil de investidor. As opções mais comuns são: conservador, moderado, arrojado ou agressivo. Por meio disso, é possível encontrar a estratégia mais adequada para cada cliente. É bem personalizado, não é mesmo?

O que avaliar e como escolher um bom assessor?

A primeira coisa que se deve fazer é uma pesquisa, que seja na Internet mesmo. Deve-se procurar por profissionais e empresas que prestam esse serviço. Depois disso, você vai perceber que existem vários sites que trabalham com essa prática. Como saber em qual deles confiar?

O estabelecimento para o qual você deseja solicitar o serviço deve ter registros individuais de seus profissionais. Peça os devidos registros da CVM e na ANCORD, e realize uma consulta na Internet para identificar se aquele nome realmente existe. Somente depois dessa consulta, é possível verificar se a empresa é uma boa ou não. Um grande diferencial é a certificação CFP, detalhada anteriormente.

Agora, você está ciente sobre o papel de uma assessoria e uma consultoria de investimento. A sua decisão de contratação deverá levar em consideração, então, seus objetivos, recursos e a disponibilidade de tempo.

Agora que você entende melhor sobre o assunto, já pode entrar em contato com a gente e ver quais são as opções de assessoria de investimentos financeiros que oferecemos. Basta acessar nossa página!

Danilo Guedine

Por Danilo Guedine

Educador financeiro e co-fundador do Caminho para Riqueza. Possui mestrado em Finanças e grava vídeos semanalmente para o canal Caminho para Riqueza, no Youtube.

Comentários