Se você precisa saber como funcionam os resgates de investimento, neste artigo mostraremos o necessário.

Um receio comum de quem está procurando por uma aplicação financeira é precisar do dinheiro investido antes do tempo e não saber se o resgate será possível, assim, este artigo abordará todas as informações indispensáveis para compreender o processo de aplicações e resgates de todo tipo de investimento, incluindo:

Cada produto financeiro tem uma dinâmica de resgate e liquidez, por isso, explicaremos tudo de maneira descomplicada. Continue a leitura e confira!

Como funciona o processo de aplicações e resgates de fundos?

Aplicações em fundos são atrativas para quem não está satisfeito com os rendimentos da poupança e procura uma opção de investimento com maior rentabilidade. Outro perfil de público investidor em fundos é aquele que busca a necessidade de diversificação da sua carteira de investimentos sem a responsabilidade de realizar a sua administração.

Guia para escolher o melhor fundo de investimento e construir riqueza

Gestão do investimento

Uma equipe de profissionais qualificados e especializados é responsável por fazer a gestão do investimento, que conta com diferentes ativos em apenas um portfólio. Essa carteira é ofertada por meio de cotas, tendo como objetivo a captação de recursos, e os cotistas dividem os custos da operação.

Ao adquirir cotas, o investidor terceiriza a tarefa da gestão para especialistas capacitados, aceitando as regras previamente apresentadas sobre o fundo. Quem regula esse mercado é um órgão governamental chamado CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que é incumbido de fiscalizar a política de investimentos, taxas e riscos dos fundos.

Resgate

Para resgate antes da data padrão estipulada no regulamento do fundo, pode ser cobrada a chamada taxa de saída sobre o valor resgatado. O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é taxado para aplicações resgatadas antes de completarem 30 dias da data inicial do investimento.

Diferentemente de outras classes de ativos, os fundos de investimentos não têm data de vencimento. Porém, cada fundo tem seu prazo de cotização e liquidação que é contado a partir do momento em que o investidor solicita o resgate. Esses prazos podem ser apenas 1 dia ou superiores a 1 ano.

Como podem ser interpretadas as informações sobre aplicação e resgate?

Uma gestão de recursos bem-feita requer planejamento na hora de aplicar. É preciso casar a necessidade de liquidez com o prazo de carência das aplicações, a fim de escolher o ativo correto em termos de rentabilidade e possível necessidade de resgate antecipado sem perdas significativas do valor investido.

Se você está pensando em investir e tem certeza de que não precisará desses recursos antes do prazo de vencimento da aplicação, não há problema nenhum em focar apenas na rentabilidade, deixando a liquidez em segundo plano. Em compensação, caso a possibilidade de resgate antecipado faça parte da sua realidade, procure entender o quanto o valor do seu lucro será reduzido nesse cenário.

É comum o investidor, quando pessoa física, ignorar o risco de liquidez e, ao precisar do seu dinheiro, não conseguir acessá-lo com a rapidez que deseja. Por isso, é importante procurar informações com um assessor de investimentos e/ou ler a lâmina do prospecto do produto.

Faça uma consultoria de investimentos

Fundos de investimento, em sua maioria, têm o valor de suas cotas atualizados todos os dias, refletindo o resultado da valorização ou desvalorização da carteira. Isso significa que o número de cotas do investidor não é alterado, porém o valor que ela representa pode sofrer variação para mais ou para menos, em virtude da rentabilidade do fundo.

Para compreender melhor as informações sobre aplicações e resgates, vamos explicar alguns conceitos fundamentais. Entenda:

  • prazo de cotização: é o tempo de operação do fundo para transformar o dinheiro aplicado em cotas, desde a data da aplicação, ou, as cotas em dinheiro, contando o dia da solicitação do resgate;
  • prazo de liquidação: ao pedir resgates de investimento, após a cotização, existe um prazo para que os recursos sejam creditados na conta do cotista, denominado prazo de liquidação;
  • prazo de resgate: é a somatória do prazo de cotização e do prazo de liquidação, ou seja, vai desde o pedido de resgate até o depósito do valor na conta bancária;
  • D+n: a letra “D” simboliza o dia útil do pedido de resgate, e a letra “n” representa a quantidade de dias úteis ou corridos a partir do dia correspondente ao “D”.

Como funcionam os resgates de investimento para cada tipo de ativo?

Conheça a dinâmica de liquidez dos ativos mais procurados do mercado financeiro pelos investidores:

  • ações: são liquidadas (pagas) em D+3, o que significa que você compra ou vende uma ação na BM&F Bovespa hoje e só paga ou recebe em 3 dias úteis;
  • títulos bancários: normalmente não têm um mercado secundário, logo, o prazo de carência dos ativos tem de ser respeitado até o final;
  • títulos privados: na teoria, têm mercado secundário e liquidez diária, mas, na prática, alguns ativos podem sofrer determinados tipos de eventos, passando um período sem liquidez;
  • títulos públicos: podem ter vencimento longo, ou seja, igual ou maior que 30 anos. Porém, existe um mercado secundário garantido, pois o próprio Tesouro Nacional garante liquidez.Portanto, na prática, a liquidez é diária, mas é preciso que o investidor saiba que o Tesouro Prefixado e o Tesouro IPCA+ podem ter ágio ou deságio, se vendidos antes da data de vencimento por meio do mercado secundário;
  • fundos de investimentos: as opções de fundos referenciados DI normalmente têm prazos de cotização e liquidação D+0 ou D+1, o que significa que, ao solicitar o resgate, o dinheiro é creditado no mesmo dia na conta, ou no dia seguinte.Outros fundos podem apresentar o tempo de cotização em D+0 D+X referente às aplicações e resgates, ou seja, ao investir no fundo, os recursos são convertidos em cotas no mesmo dia ou um prazo maior pré determinado. O prazo de liquidação pode variar entre D+1 ou superior a D+360 dias, isto é, ao precisar do dinheiro, o investidor só terá o valor creditado em sua conta após um dia útil ou mais de 1 ano a contar do dia do pedido de resgate.

capa ebook isenção fiscal titulos de credito privado

Elabore um eficiente planejamento financeiro

Neste post, falamos sobre como funcionam os resgates de investimento. Explicamos a dinâmica para se investir em fundos e o sistema de cotas. Foram esclarecidos os pontos importantes para interpretação das informações sobre o resgate de aplicações, elucidando a dinâmica de liquidez de diferentes ativos, como títulos públicos, privados, títulos bancários, ações e fundos de investimento variados.

Guia de Planejamento Financeiro Pessoal e investimentos

Com isso, você poderá elaborar um planejamento financeiro eficiente, de acordo com os seus objetivos e prazos para resgates de investimento.

Para saber mais sobre educação financeira, siga-nos no LinkedIn e acesse nossos conteúdos de altíssima qualidade!

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Avatar

Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.