Você provavelmente já ouviu falar sobre as commodities em algum lugar — especialmente nos jornais, na seção de economia. Entretanto, poucas vezes se explica o significado do termo. Afinal, o que são commodities?

Seu significado nada mais é do que “mercadoria com características homogêneas”, ou seja, recursos em estado bruto, que são produzidos em grande quantidade e podem ficar armazenados sem que a qualidade seja afetada (como petróleo, minério de ferro, ouro, soja, milho, café, açúcar, etc). Outra característica que os define as commodities é o baixo valor agregado e preço determinado segunda a oferta e demanda internacional.


Você pode investir seu dinheiro após conversar com um profissional investimentos e tirar todas as suas dúvidas.


Por comporem uma parte importante do mercado, as commodities não devem ser ignoradas pelos investidores. Aliás, você sabia que tem como investir nelas? Por ser tão pouco explorado, tal tipo de investimento é pouco conhecido para o público geral.

Para entrar no universo das commodities, é necessário conhecer suas variações e como funciona o investimento para esse fim, além de avaliar suas vantagens e desvantagens. Continue a leitura e veja como proceder!

Quais são os tipos de commodities existentes?

Há 4 tipos de commodities. Abaixo, falaremos sobre cada uma delas e daremos exemplos de produtos que se enquadram nesses grupos. Lembre-se de que é necessário conhecê-las a fundo antes de começar a investir.

Financeiro

Nesta modalidade, estão inseridas diversas moedas, como real, dólar e euro, além de títulos públicos. O investimento nas commodities do tipo financeiro requer muito conhecimento técnico e geopolítico acerca dos países responsáveis pela gestão da moeda. Vários fatores podem elevar o preço ou fazê-lo despencar.

As moedas fortes são as mais estáveis e seguras. Elas se encontram em países como os EUA (dólar) e aqueles que formam a União Europeia (Euro).

Agrícola

Neste rol, estão os produtos do agronegócio, como:

  • milho,
  • café,
  • açúcar,
  • suco de laranja,
  • soja,
  • trigo,
  • boi gordo,
  • entre outros.

Como o Brasil tem muitas terras férteis, produzimos inúmeras commodities agrícolas, que chegam a 44,1% de nossas exportações.

Já que vem sendo cada vez mais ampliada e modernizada, tal modalidade tem certo diferencial em relação às outras. Entretanto, há também algumas desvantagens, como:

  • a dependência de fatores externos;
  • o consumo em países em desenvolvimento, como a China;
  • o clima;
  • a logística de exportação — infraestrutura.

Mineral

Trata-se dos diversos tipos de metais:

  • ouro,
  • minério de ferro,
  • prata,
  • bauxita,
  • alumínio,
  • pedras preciosas,
  • nióbio,
  • manganês,
  • grafeno, etc.

Também estão incluídos materiais energéticos, como o carvão mineral, o petróleo e o etanol, entre outros.

Assim como as commodities agrícolas, as minerais são muito dependentes do mercado externo e do consumo de países desenvolvidos ou em desenvolvimento.

Ambiental

Entre as commodities ambientais, estão os bens originados de recursos naturais que servem para alimentar a produção industrial e agrícola. Os principais produtos deste grupo são:

  • a água, essencial para qualquer atividade econômica;
  • a madeira;
  • a geração de energia;
  • entre outros.

Como funciona o investimento em commodities?

Embora muita gente não saiba, investir na bolsa de valores não se resume a comprar títulos de ações das empresas. É possível investir no “Mercado Futuro”, no qual as commodities, ao lado de moedas e índices, são as opções disponibilizadas.

Entretanto, para adentrar nesse mercado, é necessário ter uma boa educação financeira e estar a par dos riscos envolvidos. A negociação no ramo ocorre por meio de contratos fechados para entrega futura de determinadas mercadorias, como o café e o petróleo.

Ao adquirir um deles, você recebe, na data de seu vencimento, o lucro relativo à commoditie escolhida. Porém, você também pode ter perdas, caso o preço de mercado do produto escolhido desvalorize.

Além do investimento na matéria física, há a possibilidade de aplicar seu dinheiro de modo especulativo, apostando na alta ou no início da produção de algum item. Através dos chamados instrumentos derivativos, você pode apostar na alta ou na queda de qualquer commoditie.

Quais são as vantagens desse investimento?

Há várias vantagens em investir nas commodities. A primeira a ser destacada é o retorno ao investidor caso ele faça uma boa leitura das condições de mercado e acerte a direção. Com o aumento do preço das commodities, ele consegue receber um maior retorno sobre o investimento, caso esteja comprado naquele produto.

Lembre-se: a resiliência é um ponto forte para qualquer pessoa que decida investir!

Diversidade de commodities

O segundo ponto é a diversidade de commodities existentes. Além dos 4 grupos que já vimos, há várias opções dentro de cada um deles. Isso dá a você a possibilidade de investir em diferentes ramos ao mesmo tempo e diversificar suas aplicações, o que torna sua carteira de investimentos mais segura.

Mercado Futuro

Por fim, destacamos a possibilidade de negociação dos investimentos em commodities com o uso do “Mercado Futuro”, conforme já citado. Essa ação dá mais flexibilidade e é possível fazer estratégias com proteção (“hedge”). Ela é vantajosa tanto por diminuir a responsabilidade do investidor quanto por tornar seu investimento mais seguro diante do sobe e desce do mercado.

O guia definitivo para ter sucesso em investimentos financeiros

E as desvantagens deste tipo de investimento?

Nem tudo são flores, não é mesmo? E não seria diferente no mundo dos investimentos em commodities: agora, vamos apontar as principais desvantagens que você enfrenta nesse mercado.

Alta volatilidade do mercado

O primeiro ponto negativo é a alta volatilidade do mercado, o que também implica em alto risco. Isso significa que os recursos podem ganhar valor de forma rápida, mas, ao mesmo tempo, há a chance de o preço cair de uma hora para outra.

Como é necessário muito planejamento e conhecimento técnico, é comum que investidores desavisados acumulem grandes prejuízos em suas primeiras tentativas de adentrar nesse universo. Portanto, você deve se manter atento(a), antecipando os rumos que a produção do recurso e consumo tomará.

Instabilidades climática e política

Outra desvantagem a ser apontada é que há fatores que você não pode prever ou controlar (pelo menos não totalmente). Entre eles, vale mencionar a instabilidade climática e a instabilidade política. Mais uma vez: a dica é manter-se sempre informado sobre as questões que afetam a commoditie na qual está investindo.

Como começar a investir em commodities?

Por fim, preparamos algumas dicas para você começar a investir em commodities. Acompanhe:

  1. busque pela assessoria de um profissional com experiência na área;
  2. defina as commodities para investimento;
  3. estude a realidade de produção e consumo das commodities e de tudo aquilo que as afete, como questões climáticas ou políticas, estoques e o mercado externo;
  4. decida entre um contrato futuro ou outras opções;
  5. acompanhe as notícias sobre a produção e a distribuição da commoditie.

Agora que você já sabe o que são e como investir nas commodities, comece a considerá-las em seus próximos investimentos. As margens de lucro são bastante animadoras e, com a preparação adequada, além de contar com a assessoria de profissionais experientes e especializados, o investimento tem tudo para garantir prosperidade financeira a você!

Gostou de ficar por dentro do universo das commodities? Deixe um comentário com suas dúvidas ou sugestões. Sua opinião é sempre bem-vinda em nosso blog!

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Danilo Guedine

Danilo Guedine

Educador financeiro e co-fundador do Caminho para Riqueza. Possui mestrado em Finanças e grava vídeos semanalmente para o canal Caminho para Riqueza, no Youtube.