fbpx

A importância de Benjamin Graham para os investidores e todo mercado financeiro

Mais do que um investidor de sucesso Benjamin Graham criou e propagou conceitos com relação à investimentos que contribuem para as análises dos investidores até os dias atuais. Além disso, a popularização e o aumento da importância do mercado acionário também possuem a influência dele.

Value Investing

A criação do conceito de Value Investing ou Investimento em Valor, em detrimento da especulação por Benjamin Graham pode ser considerada um marco na indústria das finanças como um todo. Não é por acaso, que Graham é um dos maiores influenciadores de Warren Buffett, considerado por alguns o maior investidor da história.

Quem foi Benjamin Graham?

Benjamin Graham, nasceu no ano de 1894 no Reino Unido, mas se mudou para Nova York com apenas um ano de idade. A família de Graham não gozava de grandes recursos, sendo assim após conseguir uma bolsa de estudos se graduou em Estatística pela Columbia University aos 20 anos.

Teoria e prática de investimento

Além de se graduar em Columbia, Graham foi professor da mesma Universidade entre 1928 e 1956. Nesse período ele lecionou disciplinas relacionadas à investimentos. Dessa forma, além da carreira de sucesso no mercado, também teve proeminência na carreira como professor. Inclusive, é um dos poucos acadêmicos que além de lecionar também investia, juntado assim a teoria e a prática.

Inovações

Além de proporcionar uma série de inovações que mudaram basicamente o conceito do mercado de ações nos EUA e no mundo, os números relacionados à carteira de investimentos de Graham fala por si só. Estima-se que a rentabilidade dos seus investimentos estiveram na casa dos 20% ao ano de retorno médio durante um período de 20 anos.

Investidor inteligente

Graham trabalhou até 1956, quando tinha 62 anos. Após esse período apesar de não estar no dia a dia continuou acompanhando o mercado e sobretudo atualizando o seu livro Investidor Inteligente. Graham faleceu em 1976 na França, aos 82 anos.

Início da trajetória em Wall Street

Wall-Street benjamin Grahan

Logo após o período da sua graduação, Graham ingressou no mercado financeiro em uma pequena empresa de Wall Street, a Newburger, Henderson and Loeb. Apesar de no começo desempenhar tarefas simples, logo se tornou analista e o seu foco era sobretudo em análise de Bonds (Títulos de Dívida Pública ou Privada).

Graham-Newman Corporation

Em 1920, foi promovido a sócio da empresa mas 6 anos depois pediu demissão para fundar seu próprio negócio junto com Jerry Newman, a Graham-Newman Corporation. Essa parceria perduraria por muitos anos e até mesmo Warren Buffet chegou a trabalhar na Graham-Newman no início da carreira.

Crise de 1929

Benjamin Grahan e a crise de Crise de 1929

 A empresa de Graham não passou incólume à crise financeira de 1929, ele perdeu uma parte relevante do seu patrimônio naquele período. Todavia, esse foi um período de bastante aprendizado pra ele.

Análise de risco e investimento não especulativo

Muitas das ideias que mais à frente ele iria passar ao mundo também tem esse período como pano de fundo. Temas como análise de risco e investimento não especulativo são conhecimentos que ele aprofundou durante esse período de turbulência da bolsa de valores americana e da economia mundial como um todo.

assessoria-de-investimentos-personalizada-gratuita

Benjamin Graham e o Value Investing

A maior contribuição de Benjamin Graham não apenas para os investidores em si mas para o mercado financeiro como um todo é o conceito de Value Investing, em português, Investimento em Valor.

Livros

Essa ideia foi introduzida por ele de forma mais clara no seu primeiro livro, o “Security Analysis”, publicado em 1934 e depois aprofundada ainda mais no “Investidor Inteligente” de 1949, o qual é seu livro mais famoso. É importante contextualizar que nessa época, a bolsa de valores era vista como um Cassino e não como um lugar para realizar investimentos. Ou seja, as pessoas enxergavam a compra de ações como uma aposta, basicamente uma jogada de sorte.

Análise fundamentalista de ações

Portanto, nessa obra ele insere conceitos antes pouco analisados, como margem de segurança, análise de risco, valor intrínseco da ação, entre outros. Esses conceitos introduzidos por Graham colaboram para a ideia de investimento em valor e análise fundamentalista de ações. Além disso, inicia-se a diferenciação entre investidor e especulador.

Principais observações para análise de uma ação

Segundo Graham, há alguns quesitos que não podem faltar para realizar a análise de uma ação. Os quais são:

  1. Analisar a perspectiva de longo prazo dessa empresa. Ou seja, verificar se tanto a empresa quanto o setor que ela atua possuem condições de crescer em determinado espaço de tempo;
  2. Observar as estimativas de lucros dessa empresa para os próximos períodos;
  3. Procurar informações sobre os resultados dessa empresa, dívidas, resultados, em suma, buscar saber se essa empresa possui uma estabilidade financeira;
  4. Análise histórica. Em suma, é importante saber se a empresa a ser adquirida costuma distribuir dividendos, a frequência dessa distribuição, além também do Dividend Yield.
  5. Além dos anteriores, é importante também conhecer a administração da empresa. Ou seja, saber se as práticas dessa empresa estão de acordo com boas práticas de gestão, as quais são fatores importantes para o bom desempenho de uma companhia.

Investidor Inteligente

Investidor Inteligente foi a obra mais popular e difundida de Benjamin Graham. Esse é um livro destinado a todos os investidores e o foco dele é realmente os investidores individuais. Nessa obra, Graham solidifica a diferenciação entre investidor e especulador.

Além disso, Graham apresenta diferentes perfis de investidor. Entre os pontos que ele classifica como um investidor inteligente é justamente o reconhecimento por parte de cada investidor do seu próprio perfil. Além disso, o investidor inteligente é aquele que conhece a lógica do mercado e esse conhecimento possibilita aproveitar boas oportunidades de investimentos.

Investimento x Especulação

Graham costumava apontar que um dos grandes problemas do mercado financeiro é a imensa quantidade de especuladores. Ou seja, agentes que compram ações visando única e exclusivamente uma venda futura por um preço mais elevado. É nesse contexto que ele insere o conceito de investimento em valor.

Buy and Hold

Buy and hold no value investing

Essa ideia ficou conhecida como buy and hold, o que em suma significa comprar a ação e mantê-la em seu portfólio. Nesse sentido, não se espera uma simples valorização da ação mas sim um crescimento real da empresa em questão.

Graham ainda aponta que os especuladores atrapalham o mercado, visto que o preço das ações são distorcidos devido à movimentos de compra e venda que não são baseados nas reais condições de cada empresa. Sem os especuladores, segundo ele, a volatilidade do mercado iria diminuir consideravelmente.

Em suma, para Graham, os especuladores são aqueles que basicamente enxergam o preço da ação com um mero número que se altera para cima ou para baixo. Eles não realizam a operação pensando que por trás daquele ação há uma empresa e que o preço dessa ação varia de acordo com o desempenho da mesma.

FIIs e buy and hold

A mesma lógica pode inclusive ser levada para outros tipos de ativos, como fundos imobiliários. Um especulador adquire uma cota de FII sem pensar nos imóveis que estão por trás daquele ativo, pensando apenas na variação da cota desse ativo.

guia de investimento em fundo imobiliario

Margem de segurança e análise de risco

Um dos principais conceitos citados por Graham é justamente a margem de segurança. Nesse quesito, ele aponta que uma boa análise de risco é essencial para o sucesso do investidor. Ele lembra que qualquer investimento em ação incorrerá em algum nível de riscos mas os riscos de cada ativo são diferentes e dessa forma é essencial adequar o risco ao perfil de cada investidor.

Como ele afirma que a análise de risco é essencial para decisão de investimentos, ele divide os investidores em dois grandes perfis, os quais são o Investidor Defensivo e o Investidor Empreendedor.

Investidor Defensivo

Graham classifica o investidor defensivo como aquele cuja atividade principal não é o mercado financeiro. Nesse sentido, esse investidor possui pouco tempo disponível para analisar as empresas, acompanhar o ritmo do mercado, entre outras análises importantes para o investimento em ações.

Todavia, é possível para esse investidor entrar no mercado de ações, mas para isso ele terá que restringir as aquisições de ações à empresas maiores, ou seja, que são mais estáveis. Além disso, é importante para esse investidor analisar o histórico de lucros dessas empresa, bem como em relação à distribuição de dividendos.

Assessoria de Investimentos

Blue Chips

Na visão de Graham, empresas que cumpram esses quesitos apresentam riscos mais baixos e são adequadas para esse perfil de investidor. Em suma, ele recomenda que investidores com pouco tempo para análises comprem ações Blue Chips, também conhecidas como Large Caps. Dessa forma, não precisarão realizar muitas operações ao longo do tempo.

Investidor Empreendedor

O investidor empreendedor por sua vez teria um perfil mais agressivo dentro do mercado. Graham entende que como esse tipo de investidor possui mais tempo disponível e trata o investimento como sua principal atividade ele possui condições de buscar oportunidades de maior rentabilidade mas que por outro lado irá impactar maior risco.

Dessa forma, Graham indica que esse tipo de investidor deve buscar por empresas menores que apresentem maior potencial de crescimento. Nesse caso, a análise deve ser centrada nos fundamentos da empresa, no mercado de atuação e afins.

Além disso, ele ressalta que o maior tempo disponível pode facilitar a esses investidores encontrarem ações de empresas com bons fundamentos e que ainda não estejam “famosas” no mercado. Nesse caso, há grandes chances do preço da ação estar subvalorizado e proporcionar uma boa oportunidade de investimento.

Diversificação de investimentos

Um outro ponto ressaltado por Graham é em relação à diversificação de investimentos. Segundo ele, uma das melhores formas de mitigar riscos é não investir tudo em um único ativo e sim diversificar seu portfólio.

Uma frase dele ajuda bastante a resumir essa ideia, a qual é:

Todos nós cometemos erros: a única forma de estar seguro é dividir suas apostas de maneira a permitir que as leis das médias possam funcionar.
(Benjamin Graham)

Nessa passagem, é importante notar que um dos maiores investidores da história reconhecia que mesmo os bons investidores possuem limitações e podem errar uma análise. Dessa forma, reconhecer isso e montar a carteira de investimentos de forma a mitigar esse risco colabora para a boa rentabilidade de cada investidor.

Flutuações do mercado

Benjamim Graham chama sempre atenção para a flutuação do mercado e para a volatilidade do mesmo, em grande parte gerada por movimentos especulativos. Para Graham, é essencial para os investidores compreenderem como funciona a lógica de flutuação do mercado, porque a partir dessa compreensão é possível aproveitar boas oportunidades.

Graham aponta que um investidor que realiza uma análise fundamentalista e investe em valor, não pode entrar em desespero devido a algum movimento brusco do mercado. Nesse sentido, ele deve conhecer como e por quê ocorrem esses movimentos dentro do mercado.

A partir desse entendimento, além de não incorrer em perdas desnecessárias, esses movimentos podem proporcionar oportunidade de comprar empresas com valor abaixo do seu preço real.

Para exemplificar esse argumento, Graham em seu livro, apresenta inclusive uma anedota, dizendo que

[…] O Senhor Mercado todos os dias lhe oferece oportunidade de compra e venda de ações a preços distintos a depender do interesse do mesmo. Nós não devemos dar atenção a ele e sim à nossa própria avaliação e aos fatos. Somente nos casos em que achamos que os preços estão absurdamente baratos ou caros é que prestamos atenção em suas ofertas […]
(Benjamin Graham)

Nesse ponto, Graham reforça a ideia do value investing, ou seja, a análise de uma empresa deve sempre estar à frente do comportamento do mercado. Isso possibilita não apenas comprar ações a valores mais baixos mas também não perder dinheiro ao vender ações por um preço inferior devido a algum movimento do mercado.

Um dos criadores da função de Analista de Investimentos

Graham também é considerado um dos criadores da função de analista de investimentos no mercado de ações. A análise da forma como Graham trabalhava e como descreveu em seus livros não existia no mercado até então.

Ele, portanto, foi um dos precursores desse tipo de função. Levou essa função para a sua empresa e criou as bases para que essa função dentro do mercado de ações de fato virasse uma profissão.

Idealizador do CFA

Além de criar as bases para a profissão de analista de investimentos, Graham é o idealizador do CFA (Chartered Financial Analyst). Essa certificação de profissionais do mercado financeiro que possui mais prestígio ao redor do mundo. Além disso, os exames para obtenção dessa certificação são famosos por sua dificuldade.

Graham apresentou em 1940 a ideia de que houvesse uma certificação para os analistas de investimentos. Segundo ele, isso fortaleceria esses profissionais, além de ser uma sinalização para o mercado acerca do profissionalismo daquele analista.

A proposta passou por anos de discussão entre as Sociedades de Analistas Financeiros, até que me 1963 foi enfim criado o CFA.

Influência para grandes investidores

Além de propagar ideias e conceitos que colaboraram para investidores de todos os portes ao longo do tempo. Graham é conhecido também por ser uma das principais influências e referência de grandes investidores como Irving Kahn, Walter Schloss, John Templeton e o mais famoso deles, Warren Buffett.

Buffett considera Benjamin Graham como um dos seus mentores, ele costuma afirmar que Graham é a segunda pessoa que mais influenciou a vida e o sucesso dele, ficando atrás apenas de seu pai.

É possível verificar que a estratégia de investimento de Buffett se assemelha bastante com as ideias de Graham. Há algumas divergências, quanto à necessidade de diversificação da carteira, por exemplo. Mas em suma, a estratégia de Buffett também é centrada no Value Investing, conceito que ele aprendeu nos tempos em que trabalhou junto com Benjamin Graham.

Apesar de não ser o mentor direto, é possível verificar outros grandes investidores no Brasil e no mundo que seguem os conceitos de Value Investing, como Luiz Barsi no Brasil e o Jim Rogers a nível internacional.

Alguns conceitos ultrapassados

Os livros de Graham, sobretudo o Investidor Inteligente, trazem ideias que são de suma importância para todos investidores e sua leitura com certeza colaborará para aumentar o conhecimentos sobre estratégias no mercado financeiro. Todavia, há também conceitos de Graham que estão ultrapassados para os dias atuais.

Graham, por exemplo, desencorajava que os investidores comprassem ações de empresas do setor aéreo e empresas ligadas à produtos de alta tecnologia. Esses conceitos faziam sentido na época em que os livros foram escritos, dado que eram setores ainda incipientes dentro do mercado e não se sabia se eles prosperariam.

Nos dias atuais, o setor de alta tecnologia, por exemplo, é um dos que oferecem maiores oportunidades de investimentos com perspectiva de boa rentabilidade. Todavia, esses fatores não invalidam a riqueza de conceitos presentes nas ideias de Graham.

Assessoria de Investimentos

Considerações finais

Benjamin Graham sem dúvidas representou um divisor de águas para o mercado financeiro e também para os investidores. A inserção do conceito de Value Investing e a desmistificação de que o mercado financeiro funcionava como um Cassino representou um avanço não só para o sucesso pessoal dele mas também para essa indústria como um todo.

Além disso, a propagação desses valores possibilitou que mais pessoas se tornassem investidores. A partir da difusão da ideia de que qualquer um pode investir, podendo ter um perfil moderado ou agressivo, abriu as portas para que mais pessoas enxergassem no mercado financeiro uma oportunidade real e não apenas uma aposta sem fundamento.

Dessa forma, Benjamin Graham pode ser considerado não apenas um grande investidor, mas um dos grandes mentores do mercado financeiro como um todo, visto as contribuições que ele trouxe. Portanto, os ensinamentos deixados por Graham colaboram para que não só as análises dos investidores possam melhorar mas também para encorajar mais pessoas a se tornarem investidores em valor.

Vinicius Brandao

Por Vinicius Brandao

É economista e autor no blog Caminho para Riqueza.

Comentários