Chegar ao fim da idade ativa e desfrutar de uma boa aposentadoria são os principais objetivos de todo trabalhador. Entretanto, para garantir um futuro digno e confortável, é preciso começar a pensar e planejar ainda no presente. Ah, e claro, quanto antes, melhor!

Estamos lidando com a passagem para uma nova fase da vida em que mudanças são inevitáveis. Por isso, passar para a inatividade sem alterar bruscamente o estilo de vida depende dos investimentos e escolhas que se faz hoje.

Se você está pensando em tudo isso e quer montar sua aposentadoria, não deixe de ler este artigo!

Nele você vai aprender a se planejar para desfrutar da vida de aposentado com segurança e tranquilidade.

O sonho da aposentadoria: como realizá-lo?

Aposentar-se bem pode ser um desejo, mas o que você está fazendo para alcançá-lo? Para torná-lo realidade é preciso dedicar-se a um planejamento financeiro calculado.

A aposentadoria é um momento bem delicado e que pode se tornar um sério problema caso a preparação não seja prioridade. Não restam dúvidas de que, ao passar para a inatividade profissional, haverá uma redução nos rendimentos, além da possibilidade do aumento de despesas com saúde.

Portanto, mais do que desejar a aposentadoria, é preciso agir enquanto se possui uma renda estável e disposição para trabalhar.

O que dizem os números?

Uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) apresenta um dado preocupante: 6 a cada 10 brasileiros não planejam sua aposentadoria.

Entre os motivos apresentados para tal descuido, 32,7% alegam falta de dinheiro e 19,6% informam não ter conhecimento sobre como poupar e construir uma reserva financeira. Já entre aqueles que se preocupam com o futuro, 19,2% optam pela poupança e 6,2% pela Previdência Privada.

Afinal, é possível desfrutar de uma aposentadoria tranquila?

Se você está entre os brasileiros que se preocupam em planejar o futuro, deve estar se perguntando se é possível desfrutar dessa fase da vida sem passar por uma grande ruptura no padrão de vida.

Não é nenhuma novidade que a Previdência Social (INSS) não assegura essa tranquilidade almejada. Aliás, as projeções não são nada animadoras. Inclusive, nunca se falou tanto sobre a reforma na previdência social, que a cada alteração só piora as condições aos seus participantes. Diga-se de passagem, provavelmente você seja um deles!

Desse modo, depender apenas da aposentadoria tradicional pode ser um erro muito difícil de reverter caso a decisão por um complemento de renda ou outro tipo de investimento demore a ser tomada.

Mas há uma boa notícia: é plenamente possível chegar a essa fase da vida e dispor de patrimônio e renda suficientes para lhe garantir uma vida digna, saudável e feliz. Prepare-se agora para o futuro e garanta essa tranquilidade tão almejada.

Como se preparar para o futuro?

Chegamos à conclusão de que depender exclusivamente da aposentadoria comum (INSS) não é uma boa opção. É preciso pesquisar e encontrar outros meios de complementar a renda de acordo com o seu perfil de investidor.

Anote algumas dicas e aprenda a se preparar melhor para o futuro!

1. Faça um planejamento

Por mais distante que possa parecer, é preciso ter um plano sobre como e quando se aposentar. Aliás, uma pessoa organizada e com um planejamento bem definido tem mais facilidade de manter-se focada em seus objetivos.

Sendo assim, procure estabelecer algumas questões relevantes, como quanto tempo você ainda pode trabalhar e com qual idade pretende se aposentar. Procure também projetar uma longevidade estimada. A partir daí, planeje suas finanças para poupar dinheiro e dispor de uma boa reserva financeira no futuro, suficiente para lhe garantir pelo menos até a idade projetada.

Além disso, tenha em mente uma estimativa da quantia que você precisará mensalmente após a aposentadoria para viver com conforto e segurança. Perceba que na aposentadoria, alguns custos, por exemplo com carro, estacionamento, outros bens supérfluos etc podem ser cortados, porém o plano de saúde, gastos com medicação e prevenção, dentre outros, tendem a aumentar. Isso é importante para definir o tipo de investimento que deverá ser feito.

2. Defina quais são seus objetivos para depois de aposentado

Para se preparar para o futuro é necessário saber como e onde você deseja estar quando se aposentar. Você precisa definir se pretende:

  • ter imóveis,
  • um bom patrimônio,
  • viver de investimentos em bolsa de valores,
  • mudar-se para o interior ou praia,
  • viajar ou até mesmo
  • abrir o próprio negócio.

Somente com seus objetivos claramente definidos você poderá se preparar melhor e encontrar a melhor maneira de fazer o dinheiro trabalhar para você. Afinal, a aposentadoria não pode ser encarada apenas como o fim da idade ativa, mas como uma recompensa por todo trabalho e planejamento feito ao longo da vida.

3. Estude bem as opções disponíveis

Atualmente, existem diversas maneiras de se investir com segurança em busca de um futuro mais tranquilo. Portanto, faça uma pesquisa minuciosa e veja qual se encaixa melhor ao seu perfil.

Previdência Privada, por exemplo, oferece ótimas condições e é uma maneira acessível e simples de poupar para o futuro. Já os investimentos em bolsa de valores, apesar de alguns mitos que geram desconfiança nos investidores iniciantes, podem proporcionar excelentes rendimentos se feitos da maneira correta.

Outro investimento pode ser a compra de títulos públicos. Pode ser bastante lucrativo desde que você estude e aprenda sobre a dinâmica de cada um deles. Cumpre ressaltar que investir em títulos públicos é considerado a modalidade mais segura de investimento no país.

Para quem prefere delegar a tarefa de escolher os melhores títulos a um profissional do mercado financeiro com muito mais experiencia, a escolha de fundos de investimentos de diferentes classes também é um caminho recomendado.

Além disso, existem dezenas de outros tipos de investimentos, cada um com suas características e vantagens e desvantagens. Portanto, pesquise bastante, defina seus objetivos e faça a escolha certa.

Investimentos financeiros vs Investimentos imobiliários

O Brasil não é para iniciantes

Essa frase parece ter vindo de um economista, mas não, Tom Jobim, grande mestre da música brasileira foi, mais uma vez, foi muito assertivo e em poucas palavras resumiu o Brasil.

Talvez por isso, principalmente os nossos pais e avós, tinham/têm uma cultura muito forte em investir em imóveis. Afinal, tijolo todo mundo enxerga, enquanto que investimentos financeiros são resumidos em uma única linha no extrato bancário, muitas vezes negligenciados pela maior parte das pessoas.

Mas enfim, a grande verdade é que muitos pensam que investimentos imobiliários tem menor risco ou mesmo nenhum risco. Discordo totalmente! Vejamos a seguir.

a grande verdade é que muitos pensam que investimentos imobiliários tem menor risco ou mesmo nenhum. Discordo totalmente!

Pergunte a alguém que tenha investido em imóveis entre 1980 e 2000 se eles realmente obtiveram bons resultados. Provavelmente, a maioria dirá que não. Alguns, por pura sorte, dirão que sim. E pode ter sido pura sorte mesmo. Outros tem a falsa sensação de que fizeram um bom investimento, simplesmente porque pagaram X reais e venderam por X + Y reais, depois de N anos.

Agora eu pergunto. Será que esse mesmo investidor calculou a inflação desse mesmo período? Ou melhor ainda, será que ele calculou o custo de oportunidade desse dinheiro investido num imóvel ao invés de um outro investimento, por exemplo, qualquer investimento financeiro?

Custo de oportunidade é o quanto um investidor deixa de ganhar por optar num outro investimento. Ou seja, se você compra um imóvel por R$ 100 mil e o vende por R$ 200 mil depois de 10 anos, o seu lucro foi de 100%, ou seja, o dobro do valor investido. Mas veja, um investimento financeiro de baixo risco por 10 anos, pode render 150%.

Sem contar que um imóvel desalugado gera custos altos com IPTU, manutenção, as vezes condomínio etc. Para quem investe em imóvel pensando no aluguel, saiba que essa renda extra é tributada em 27,5%. Além disso, dificilmente o proprietário de um imóvel consegue um aluguel superior a 0,5% do seu valor total.

Agora, aquele investidor que por sorte pegou o “boom” do mercado imobiliário a partir de 2000 até 2013 pode ter feito um bom negócio. Mas isso só é válido se acertou o lugar certo e a hora certa, o que é muito difícil. Por isso, investir em imóveis, assim com em qualquer outra classe de ativo tem sim seu risco.

Enquanto isso, no mercado financeiro existe a opção de se investir em FIIs (Fundos de Investimentos Imobiliários). FIIs são veículos de investimento que agrupam investidores com o objetivo de aplicar recursos em ativos de cunho imobiliário.

Os FIIs podem investir em empreendimentos imobiliários, entendidos como quaisquer bens e direitos que envolvam, desde a aquisição de um terreno, até a incorporação, compra ou locação de um imóvel. Esses empreendimentos podem ser comerciais, corporativos, residenciais e/ou industriais. Além de investir em bens imóveis, os FIIs também podem aplicar em títulos de dívida com lastro imobiliário ou em ativos financeiros de emissores cujas atividades preponderantes sejam permitidas aos fundos.

Em sua maioria, os rendimentos dos FIIs variam de 8% até 20% ao ano líquido de IR . Isso é mais que o dobro que o investidor consegue no mercado imobiliário tradicional. Além disso, o detentor de um FII pode vender a sua conta quando desejar e receber o dinheiro investido em 3 dias úteis, diferentemente que a venda de um imóvel que pode levar anos.

4. Conte com uma assessoria de investimentos

Mesmo com todas as dicas apresentadas anteriormente, definir qual tipo de investimento se encaixa melhor ao seu perfil e aos seus objetivos para o futuro pode gerar insegurança e se tornar uma tarefa complicada. Por isso, estude a possibilidade de contar com uma assessoria de investimentos.

A assessoria pode auxiliá-lo a gerir seu patrimônio, orientando-o sobre as melhores opções de acordo com o seu contexto financeiro e familiar. Essa atuação reduz significativamente os riscos dos investimentos e lhe transmite mais segurança para aproveitar seus rendimentos.

Agora você já sabe que existem diversas maneiras para desfrutar de uma aposentadoria com saúde, segurança e tranquilidade. Para isso, é necessário ser inteligente e colocar o dinheiro para trabalhar para você, encontrando o tipo de investimento que mais renderá frutos e que se encaixa melhor ao seu perfil de investidor.

Quer saber ainda mais? Então conheça a Previdência Privada para aposentadoria!

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.