A incerteza em relação à seguridade social vem aumentando a cada ano. Com o objetivo de garantir a sustentabilidade do sistema e os pagamentos de benefícios concedidos, o Governo Federal planeja reformar a legislação e aumentar os requisitos para quem quer se aposentar.

Nesse contexto, os planos de previdência privada surgem como uma solução alternativa para quem quer garantir o futuro e a estabilidade financeira.

Se você já pesquisou um pouco ou já conversou com amigos e parentes sobre esse assunto, provavelmente já ouviu algumas respostas negativas, como:

  • “é muito caro”;
  • “vale a pena só para quem é jovem”;
  • entre outras.

Infelizmente, ainda há muita falta de informações sobre esse assunto e, por isso, existem mitos sobre a previdência privada que circulam por aí!

Para acabar com eles, resolvemos escrever este artigo para esclarecer de vez alguns pontos. Confira!

1. A previdência privada rende igual à renda fixa

Apesar de a previdência privada e os fundos de renda fixa serem produtos que têm portfólios parecidos, eles possuem características que podemos até mesmo considerar opostas.

A principal característica está relacionada à rentabilidade, que na renda fixa – observando investimentos a longo prazo – costuma ser maior que a previdência privada.

No entanto, a previdência privada “obriga” a pessoa a manter o valor investido pelo tempo determinado no contrato, o que não acontece com alguns fundos de renda fixa, que podem ser resgatados normalmente em um prazo menor.

2. Qualquer plano de previdência vai garantir um futuro tranquilo

Esse, sem dúvida, é outro mito muito comum relacionado à previdência privada, que acaba fazendo com que muitas pessoas cometam erros no momento de escolher um plano.

Não existe uma fórmula exata para escolher as características do plano que você pode contratar, tudo vai depender do seu perfil e dos seus objetivos.

Esses 2 critérios são os principais pontos que devem ser avaliados no momento da contratação. Definidos esses dos critérios, selecione um plano que os atenda 100%.

3. Quem é jovem não deve se preocupar com a aposentadoria

Muitas pessoas pensam que não vale a pena começar a investir em previdência privada pelo fato de ainda serem muito jovens. E pensar assim é um equívoco!

A preocupação com o futuro não tem tempo e nem idade para começar. Quanto mais cedo começar a planejar sua aposentadoria, mais vantagens você terá. Iniciar um investimento em previdência privada ainda jovem, significa mais dinheiro acumulado e maiores rendimentos, mesmo se a aplicação mensal for pequena.

Em outras palavras, significa dizer que você terá mais tempo para pagar a sua aposentadoria, podendo investir um valor mensal mais baixo, que não afetará muito o seu orçamento.

4. Quem é velho não tem mais tempo para adquirir um plano

Também existem pessoas que pensam o contrário: aqueles que não investiram em um plano de previdência privada quando jovens, não devem fazê-lo depois de certa idade. Isso também é um mito que precisa ser desconstruído.

O ideal é que você comece a fazer o seu planejamento de aposentadoria o quanto antes, no entanto, esses investimentos não são restritos apenas a uma parcela da população com uma determinada idade.

Como a expectativa de vida vem crescendo a cada ano, mesmo para aqueles que têm uma idade avançada, fazer um bom plano sempre será uma ótima forma de garantir o seu futuro.

Vamos ilustrar isso com um simples exemplo:

Se você tem 50 anos, por exemplo, provavelmente já tem um bom salário, e uma sólida experiência profissional. Se pretende trabalhar até os 60 anos, pode aplicar uma boa quantia durante 10 anos, tempo suficiente para garantir um bom rendimento de uma aplicação em previdência privada.

5. A previdência privada é muito cara

Esse é outro mito bastante comum que precisa ser esclarecido, já que não corresponde à realidade desse tipo de investimento.

Muitas pessoas pensam que investir em previdência privada custa muito caro. O que elas não sabem é que existem planos bastante flexíveis, que permitem investimentos mensais de R$ 100,00 — valor bastante acessível e, inclusive, menor que o necessário para muitos fundos de investimento.

Além disso, você também pode fazer uma aplicação adicional, quando receber algum dinheiro extra, como, por exemplo, a restituição do Imposto de Renda, o 13º salário ou qualquer tipo de comissão ou prêmio no trabalho.

Por se tratar de uma aplicação a longo prazo, essas pequenas quantias vão aumentando o seu investimento, e consequentemente melhorando a rentabilidade que o plano de previdência terá no futuro, quando começar a ser resgatado.

6. A previdência privada serve apenas para quem tem muito dinheiro

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, previdência privada não é uma exclusividade de indivíduos que têm muito dinheiro e posses.

Atualmente, o teto da previdência social do Governo Federal está na casa dos R$ 5 mil. Por isso, muitas pessoas acreditam que este investimento é acessível somente para quem ganha mais que esse valor por mês.

Isso não é verdade! Mesmo que o seu salário seja muito inferior ao valor mencionado acima, contar com um plano de previdência privada será vantajoso. Além disso, estamos vivenciando um cenário de muitas incertezas em relação à previdência social, como já mencionamos no início deste artigo.

Assim, um plano de previdência privada pode servir como complemento de renda para a aposentadoria pelo INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social), ajudando a garantir a qualidade de vida e estabilidade financeira.

7. Serve apenas para aqueles que não contribuíram com o INSS

Quem diz isso provavelmente não sabe que a previdência privada pode ser utilizada como complemento da renda obtida pela aposentadoria convencional. Por isso, ela pode muito bem servir para quem contribui regularmente com o INSS.

Além disso, um contribuinte poderá optar por antecipar a sua aposentadoria, como vamos mostrar no exemplo abaixo. Suponhamos que você, hoje, com 35 anos, queira se aposentar com 50 anos de idade. Sendo assim, você se dirige a um banco e faz um plano de previdência privada, a fim de começar a sacar seu investimento com aquela idade.

Nesse caso, você poderá continuar contribuindo com o INSS até chegar a idade mínima para a aposentadoria, e receber ambos os valores, tanto do seu plano privado quanto da previdência social.

Compartilhe sua opinião e peça uma consulta

Gostou de conhecer os principais mitos sobre a previdência privada? Conhece algum outro mito ou deixou de investir por acreditar neles? Então compartilhe com a gente a sua opinião sobre o assunto aqui nos comentários! Você também pode falar conosco e solicitar uma consulta gratuita sobre previdência privada.

Seja informado a cada novo post!

Assine e receba novos posts diretamente em seu email

Sobre o autor

Caminho para Riqueza

Caminho para Riqueza é um blog de educação focado em investimentos financeiros.